Memorias de Agripina

by Pierre Grimal | Literature & Fiction |
ISBN: 8498152305 Global Overview for this book
Registered by jambocaribe2 of Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on 5/16/2009
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
6 journalers for this copy...
Journal Entry 1 by jambocaribe2 from Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Saturday, May 16, 2009
Memórias de Agripina, mãe de Nero, ficcionadas por um especialista da história romana - Pierre Grimal.

Journal Entry 2 by jambocaribe2 from Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Saturday, November 07, 2009
Lista do Ring
1- Meg72
2- Pipa87
3- Libelinhar
4- Conto
5- Heniswydryn
6- Kizmiaz
7- Marcenda
Espero que gostem

Journal Entry 3 by jambocaribe2 from Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Saturday, November 07, 2009
Já em viagem. Enviado ontem para Meg72.

Journal Entry 4 by Meg72 from Ílhavo, Aveiro Portugal on Sunday, November 15, 2009
Sempre gostei de ficção histórica, é o meu género preferido. Obrigada, jambocaribe2 :-)

Journal Entry 5 by Meg72 at Ílhavo, Aveiro Portugal on Thursday, December 03, 2009

Released 9 yrs ago (12/4/2009 UTC) at Ílhavo, Aveiro Portugal

CONTROLLED RELEASE NOTES:

CONTROLLED RELEASE NOTES:

Mais do que um relato da vida de Agripina, mãe do Imperador Nero, este livro é um retrato dos primeiros anos de Império, onde é já evidente a decadência que iria levar Roma à ruína. Temos conspirações, incesto, disputas pelo poder e nenhuma ponta de dignidade. Agripina, tal como outros romanos que se julgam descendentes dos deuses, não olha a meios para atingir os seus fins. Nenhuma personagem escapa; É tudo gente capaz de vender a mãe por cinco tostões!
Lê-se bem, é uma verdadeira lição de História, mas devo dizer que, em certas ocasiões, perdi-me no meio das relações de parentesco. Já não sabia quem era primo ou neto ou irmão de quem! Parece que os Patrícios tinham a mania de se casarem com membros da família e, então, perde-se o rumo. Gostei muito!

Journal Entry 6 by pipa87 from Aveiro, Aveiro Portugal on Monday, December 21, 2009
Chegou!

Journal Entry 7 by pipa87 from Aveiro, Aveiro Portugal on Monday, December 28, 2009
Peço desculpa mas não consegui ler o livro.
Provavelmente não foi a melhor altura para pegar num livro deste tipo, pois ando "perguiçosa" para ler livros históricos.
Tentei contactar a Libelinhar mas não obtive resposta. Mandei uma nova PM e vou aguardar mais um pouco.
obg pela partilha!

Journal Entry 8 by wingcontowing from Lisboa (city), Lisboa (distrito) Portugal on Friday, January 15, 2010
E cá está ele, acabadinho de chegar. Estou a acabar um outro que ainda me vai levar uns dias, mas depois pego-lhe.
Obrigada pipa!

Journal Entry 9 by wingcontowing from Lisboa (city), Lisboa (distrito) Portugal on Monday, February 01, 2010
Só para deixar aqui um link que me está a ajudar, para a árvore genealógica desta gente (mania de repetirem nomes até à exaustão!):
Dinastia Julio-Claudiana

Journal Entry 10 by wingcontowing from Lisboa (city), Lisboa (distrito) Portugal on Saturday, February 20, 2010
Antes de mais, peço desculpa pelo tempo que demorei... já o acabei há algum tempo mas “passou-me”. Vai seguir para o kizmiaz breve, breve.

Na minha opinião, apesar de se tratar de um livro fraco do ponto de vista de um leitor interessado na estrutura dramática, no desenrolar da história que é contada, é uma obra que se torna muito interessante pelo relevo dado às fontes arqueológicas e documentais e pelo cuidado posto na descrição dos espaços, costumes e ambientes relevantes para o conhecimento, dos leitores de hoje, do mundo na Roma Imperial.

Neste aspecto, transparece nitidamente o académico e investigador da civilização romana: interrompe frequentemente a narrativa para descrever por exemplo a casa de Lívia esposa de Augusto, o luxuoso vestuário de Messalina ou o fórum num dia de grande agitação, para enumerar as atribuições das virgens vestais e para ilustrar os rituais do casamento de um nobre romano.

É no entanto exactamente este aspecto que faz com que nos soem artificiais umas memórias em que a própria narradora, a imperatriz, descreve tão pormenorizadamente aspectos sobejamente conhecidos por todos aqueles que povoam o seu mundo. É possível conciliar muito melhor as duas vertentes, como tão bem demonstrado por Steven Saylor na sua série Roma sub-Rosa.

Mas claro que valeu a pena. Obrigada pela oportunidade jambocaribe2!

Journal Entry 11 by kizmiaz from Belém , Lisboa (cidade) Portugal on Monday, March 01, 2010
Já cá está, vou pegar nele em breve.

Journal Entry 12 by kizmiaz from Belém , Lisboa (cidade) Portugal on Tuesday, March 09, 2010
Concordo com o que já foi referido anteriormente em relação à narrativa, é pouco hábil e, ao contrário do que sugere a introdução, o autor não consegue reabilitar a figura de Agripina como Robert Graves o conseguiu com Cláudio.
A Agripina que aqui se apresenta tentando justificar a sua ambição desmedida a cada passo é pouco diferente de Messalina e, apesar de se querer distanciar, torna-se claro, para o leitor, que ambas representam o mesmo tipo de ambição e de falta de lealdade. Resta-nos o prazer de sabermos que tiveram um final à sua medida.
As virtudes das famílias Romanas estavam à beira do fim e em nenhuma isso é mais evidente do que na família Imperial neste período, com excepção do pobre Cláudio (que na prática foi melhor imperador do que os seus dois antecessores e do que o seu sucessor) e de Germânico (que não aceitou ser imperador quando aclamado pelos seus militares, defendendo a entrega do poder a Tibério) todos os outros se moveram numa teia de ambição, traição e falta de integridade.
Caio Calígula e Nero chegam-nos habitualmente como o extremo do deboche no Império mas Tibério e comportamentos que lhe são atribuídos foram sem dúvida precedente para o comportamento destes.
Posto isto devo dizer que o autor está acima da média em relação ao detalhe histórico e informação apresentada ( a sua formação revela-se muito útil) mas em relação ao estilo de escrita... é muito fraquito e falha na sua tentativa de tornar Agripina uma personagem que crie empatia com o leitor.
A Heniswydryn não pode receber, vou contactar a Marcenda.

Journal Entry 13 by wingMarcendawing from Carcavelos, Lisboa (distrito) Portugal on Tuesday, March 16, 2010
Chegou hoje e parece apetitoso! Será lido logo que possível (tenho 2 rings antes deste). Muito obrigada pela partilha e pelo envio.

Journal Entry 14 by wingMarcendawing at Bookring, -- Por correio / mão própria -- Portugal on Friday, June 11, 2010
Em primeiro lugar, as minhas desculpas por ter demorado tanto a concluir esta leitura, que foi em certas partes apaixonante, especialmente aquelas que se articulavam com as obras de Robert Grabes que li há relativamente pouco tempo, Eu, Cláudio e Claudius The God. Achei fascinante o modo como Agripina é apresentada, tão diferente da demonização a que estávamos habituados. O enquadramento histórico e social, a cor da época, são também muito bem transmitidos. Já mandei PM à jambocaribe a pedir confirmação para devolver o livrito a casa. Muito obrigada por esta partilha!

Journal Entry 15 by wingMarcendawing at Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Friday, July 23, 2010
Imperdoavelmente, só hoje consegui enviá-lo de volta para casa. Muito obrigada, jambo, e perdoa este atraso.

Journal Entry 16 by jambocaribe2 at Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Tuesday, August 03, 2010
Já voltou a casa. Obrigado a todos.

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.