As Intermitências da Morte

by Jose Sarmago | Literature & Fiction |
ISBN: Global Overview for this book
Registered by fungaga of Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on 10/22/2008
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
2 journalers for this copy...
Journal Entry 1 by fungaga from Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Wednesday, October 22, 2008
Vai seguir emprestado para o Jota-P, para ver se sacode o pó da espera.

Journal Entry 2 by Jota-P from Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Thursday, October 30, 2008
Bem, só posso dizer que estou muito agradecido à fungaga por este amabilíssimo empréstimo. Será com grande prazer que irei mergulhar neste livro (espero que brevemente) e que depois virei aqui escrever da forma mais completa possível a minha humílima opinião sobre ele. A premissa parece-me extraordinária: "No dia seguinte ninguém morreu". Promete!

Journal Entry 3 by Jota-P from Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Saturday, November 08, 2008
E já acabei de o ler. Tirando a primeira parte, julgo que este foi o melhor livro do Saramago que li nos últimos tempos. Ora vamos lá a uma opinião mais alargada...

Para começar, julgo que neste livro estão duas histórias, completamente distintas e que nada têm uma a ver com outra, a saber: a intermitência da morte durante 7 meses daquele ano (e tudo o que implica essa intermitência) e a história do violoncelista. Sem dúvida que a parte de que mais gostei foi esta última, uma vez que a primeira é demasiado confusa e desprovida de algum interesse, pelo menos para mim. É certo que é interessante alguma da crítica sarcástica à religião (especialmente a igreja católica apostólica romana, a icar, como a certa altura lhe chama o narrador) e à corrupção do Estado (através das suas ligações com a máphia), mas julgo que, no geral, essa primeira parte se perde demasiado com coisas desnecessárias, não se aproveitando da melhor forma algumas derivações que seria interessante desenvolver, como é o caso da eutanásia. Acho que a parábola do velho que pede para ser levado à fronteira para morrer poderia ser mais aprofundada e suscitar mais questões, tais como: será a eutanásia suicídio? será a eutanásia voluntária aceitável? etc. Julgo que nesta primeira parte, a forma irónica do que é narrado é sublime (Saramago é mestre nisso mesmo). Exemplos disso são as diversas reflexões do narrador, como as da pág.68: "Ainda que por mais do que legítima curisidade científica devamos perguntar-nos como poderiam sobreviver as duas partes separadas naqueles casos em que o estômago ficasse para um lado e os intestinos para o outro". É engraçado ver que o narrador nem sequer tenta explicar como. O narratário que resolva essa questão.

Depois temos a segunda parte, e essa sim, já me encheu completamente as medidas. Embora ache que não tem nada a ver com a primeira (pelo que não consigo perceber por que razão estão ambas as histórias no mesmo livro), gostei da personagem do violoncelista e da parábola que ele próprio encerra, a da imortalidade do artista (neste caso, um músico, embora se possa aplicar a qualquer outro tipo de pessoa que produza arte), o qual a morte não consegue fazer desparecer e a quem acaba por render homenagem. Está Saramago indirectamente a dizer que ele próprio vencerá a morte? Dúvidas não há de que este é um grande escritor, laureado com o Nobel, e um nome incontornável da literatura mundial.

Obrigado fungaga por este tão amável e agradável empréstimo.

Journal Entry 4 by Jota-P from Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Tuesday, November 18, 2008
O livro seguiu hoje de volta a casa. Mais uma vez obrigado fungaga por este empréstimo. Se quiseres ler algum livro da minha bookshelf, estás à vontade.

Journal Entry 5 by fungaga from Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Wednesday, November 19, 2008
Cá está, inteirinho e sem mazelas, como na música do Rui Veloso. Sempre às ordens Jota-P. Não me vou esquecer da oferta da tua bookshelf, mas neste momento era imoral arranjar mais livros para ler...

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.