Gente feliz com lágrimas - COPY #2

by João de Melo | Literature & Fiction | This book has not been rated.
ISBN: 9782868698148 Global Overview for this book
Registered by kittycatss of on 9/14/2007
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
2 journalers for this copy...
Journal Entry 1 by kittycatss from not specified, not specified not specified on Friday, September 14, 2007
"João de Melo será sempre o autor de “Gente Feliz com Lágrimas”. Grande Prémio APE em 1989, é uma visão de um certo realismo mágico português, com olhos açorianos.
O livro, entre vários de ensaio, contos e poesia, foi o terceiro romance do escritor, depois de “A Memória de Ver Matar” (1977) e “O Meu Mundo Não É Deste Reino” (1983). Acabaria por receber mais quatro prémios literários e conheceria 16 edições nacionais, para lá de traduções em Espanha, França, Holanda e Roménia.
Há obras que chegam assim, com rugido de trovão a meio de uma conversa em voz baixa. Assombram vidas discretas. Será isso “Gente Feliz com Lágrimas”. A começar com uma viagem por mar que deixa a cidade do Funchal “numa noite de tréguas a meio da baía, com o presépio das suas casas ao cimo das falésias”.
Nuno Miguel, Luís Miguel e Maria Amélia. Nomes — haverá outros —, vozes numa narrativa de sujeitos múltiplos. Todos passam por essa pequena morte iniciática de cinco dias de navegação “quase sem alimento, com o abominável cheiro dos barcos metido no estômago e nos pulmões, quem sabe mesmo se dentro das veias”. Deixam para trás “um sulco de lamentações e gritos” — porque “os pobres eram sempre ruidosos, mesmo na expressão dessa gente feliz com lágrimas” —, para serem “cadáveres debruçados do convés, sobre o mar de Lisboa”, até uma poeira dourada de luzes lhes indiciar a aportagem, e o renascimento. Estaremos em 1960, quando o próprio autor — nascido em 1949 em Achadinha, na ilha de São Miguel — deixa os Açores para prosseguir estudos no Seminário dos Dominicanos? É possível, há mais indícios autobiográficos (senão mesmo pegadas). No masculino e no feminino, embarcamos numa “caravela metafísica”, passamos pela Guerra Colonial e o 25 de Abril de 74. Acabamos no Lumiar, a 20 de Agosto de 1988, depois de um “regresso invisível” aos Açores. Perseguimos a saga de uma família dispersa por várias paragens. Recordamos, por alguma inexplicável razão, essa etiqueta de “realismo mágico”."



Excertos:
"Promete-me amor que hás-de ser meu para sempre amor. E que se alguma vez deixares de pertencer-me como agora, nem mesmo assim se perderá aquilo que aqui estamos vivendo. Prometes?

- Como posso eu esquecer-te amor, se tu és afinal a minha infância?"

****************§§§§§§******************

"Não soube merecê-la. Porque uma paixão assim, quando passa ou desliza para além de um minuto, atinge a eternidade. Pode-se vivê-la como uma promessa ou uma ficção, mas nunca como a viagem primordial ou a origem perfeita.Ainda hei-de pensar que tudo isto não passou afinal de um riso que chora ou de um pranto que ri - e de literatura."



Sobre o autor:

João de Melo nasceu na ilha de São Miguel, Açores, em 1949 e aí viveu até concluir a instrução primária. Mudou-se para Portugal continental com 10 anos de idade, a fim de prosseguir estudos. Tem residência em Lisboa desde 1967. Mobilizado para Angola em 1971, esteve vinte e sete meses na guerra colonial como graduado dos serviços militares de saúde, experiência que viria a determinar parte da sua obra literária. Licenciado em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa, foi professor de línguas e literatura no ensino secundário e de escrita criativa e teoria literária numa universidade. É conselheiro cultural na Embaixada de Portugal em Madrid desde 2001, a convite do governo português.
É sobretudo um escritor de romances e contos, mas publicou também livros de ensaio e crítica literária, antologias, poesia, crónica e literatura de viagem. Foram-lhe atribuídos os seguintes prémios literários: "Prémio Dinis da Luz" (ao romance O Meu Mundo não é deste Reino) e "Prémio Associação Cultural A Balada" (aos contos de Entre Pássaro e Anjo). Gente Feliz com Lágrimas, o seu romance mais conhecido, foi adaptado ao teatro, à televisão e ao cinema e obteve as seguintes distinções: "Grande Prémio do Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores" (o mais importante prémio de ficção dado a uma obra em Portugal), "Prémio Eça de Queirós da Cidade de Lisboa", "Prémio Cristóbal Colón das Cidades Capitais Ibero-Americanas", "Prémio Fernando Namora" e "Prémio Antena 1 de Literatura" para o melhor livro do ano. Alguns dos seus romances, contos, antologias e crónicas estão traduzidos numa dezena de países: Espanha, França, Itália, Alemanha, Holanda, Bélgica, Estados Unidos, Áustria, Roménia e Bulgária.
NOTA:
Considerado pelo JL um dos TOP 25 melhores livros de autores portugueses saídos desde 1980.

Journal Entry 2 by kittycatss from not specified, not specified not specified on Sunday, September 30, 2007
Este livro que é muito especial para mim, está reservado ao meu duplo RABCK:
- 1º Aniversário BC
- O meu aniversário.

Journal Entry 3 by kittycatss at on Thursday, October 11, 2007

Released 12 yrs ago (10/11/2007 UTC) at

WILD RELEASE NOTES:

RELEASE NOTES:

Foi libertado no meu triplo RABCK de duplo aniversário!
E este livrinho vai para...
O/a vencedor(a) que se acuse ;-))
Espero que gostes.
Beijinhos

Journal Entry 4 by PontoVirgula from not specified, not specified not specified on Wednesday, October 17, 2007
GANHEI!!!! OBRIGADA kittycatss...
Fiquei admirada ehehhe, que boa surpresa!!!
Obrigada minha querida!!! Este vai ter um lugarzinho especial na minha estante :)
BEIJO

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.