Vida Perigosa

Registered by mariadocostume on 8/24/2006
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
1 journaler for this copy...
Journal Entry 1 by mariadocostume on Thursday, August 24, 2006
Vida Perigosa (Novelas)
1ª edição; Amadora: Bertrand, 1955
Publisher: Livraria Bertrand, 1st edition, 1955; Paperback, 204 pages.

Nascido em Lisboa em 1923, Urbano Augusto Tavares Rodrigues passou a infância no Alentejo, perto de Moura, o que em muito influenciou a sua vida e obra. (...)
Impedido, por motivos políticos, de exercer a docência universitária em Portugal, foi leitor de Português em diversas universidades estrangeiras (Montpellier, Aix e Paris, entre 1949 e 1955). Depois da revolução de 25 de Abril de 1974 retomou a actividade docente em Portugal, jubilando-se em 1993 como Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É membro efectivo da Academia de Ciências de Lisboa e membro correspondente da Academia Brasileira de Letras.
Sendo um dos mais prolíficos e prestigiados escritores da segunda metade do século XX em Portugal, a obra de Urbano, que está traduzida em diversas línguas, atinge várias dezenas de títulos, entre conto, romance, crónica e ensaio. (...)
A ficção de Urbano Tavares Rodrigues tem como característica principal a tomada de consciência do indivíduo face a si mesmo e aos outros, processo que se inicia a partir da perspectiva física das personagens (a dimensão erótica e a constatação da morte marcam a sua escrita) até ao reconhecimento de uma identidade social e política. O autor considera que, numa primeira fase, a sua obra foi influenciada pelo existencialismo francês da década de 50; (...)
Urbano Tavares Rodrigues comemorou em 2003 cinquenta anos de vida literária. Em 2002 foi-lhe atribuído o Grande Prémio Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores e em 2000 o Prémio de Consagração de Carreira da Sociedade Portuguesa de Autores.


Índice / Table of contents:
- Melancolia
(1st sentence: Tinham a cidade aos pés e não a viam nem queriam vê-la, escondidos naquele jardim suspenso, onde os repuxos caíam, dolorosos, nas vibrantes conchas de mármore.)
- Vida Perigosa
(1st sentence: Maria-Paz experimentava dificuldade em discutir aqueles assuntos com ele. Habituara-se desde pequena a aceitar que entre pessoas bem-educadas não se esmiúçam os próprios sentimentos nem se abordam certos temas, porque fazê-lo é violento e plebeu.)
- Lodo
(1st sentence: Leonel esforçava-se por subtraí-la ao ambiente familiar. Quando a via junto dos filhos, sentia-se um estranho ao pé deles.)
À Luz do Verão
(1st sentence: Em começos de Junho não há prazer, para mim, como o de tomar um banho no Ardila, ao entardecer.)

Nesta segunda obra romanesca - Vida Perigosa -, mantém-se o predomínio das novelas de atmosfera estrangeira; mas agora cingem-se a três cidades francesas os locais de acção. E, aqui também , uma narrativa alentejana - À Luz do Verão - as remata (...). Por outro lado, (...) são portugueses os protagonistas de Vida Perigosa, Melancolia e Lodo; através dos olhos e da sensibilidade de Luís, de Francisco e de Lionel, é que são evocados, erguidos, recriados, os ambientes de Paris, de Toulon, de Marselha. (...) os dois grandes temas de U. T. R. - o amor e a morte - atingem, por vezes, neste livro, uma intensidade dramática deveras invulgar.

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.