O Ano da Morte de Ricardo Reis

by Jose Sarmago | Literature & Fiction |
ISBN: Global Overview for this book
Registered by butterfly-noir of Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on 6/10/2006
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
2 journalers for this copy...
Journal Entry 1 by butterfly-noir from Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Saturday, June 10, 2006
Neste romance Saramago utiliza o heterónimo de pessoa, o estoico Ricardo Reis, como narrador... diria até como desculpa para relatar o conturbado ano de 1936. No qual entre outras coisas se dá o inicio da ditadura salazarista. Mistura-se assim a realidade histórica e a ficção.

quantos mais livros de saramago leio, mais gosto deste autor.

Journal Entry 2 by butterfly-noir from Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Saturday, June 10, 2006
vai passar as férias com o Jota-P.

Journal Entry 3 by Jota-P from Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Monday, June 12, 2006
Obrigado butterfly-noir por este simpático empréstimo passado no dia do piquenique de 10 de Junho, no Parque das Nações.

Tentarei ser breve, mas talvez só consiga arranjar tempo para ele no mês de Julho. Obrigado novamente.

Journal Entry 4 by Jota-P from Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Friday, July 21, 2006
Ricardo Reis é, por acaso, o heterónimo de Fernando Pessoa de que gosto menos, se bem que me identifico com ele naquele aspecto de ser estóico e tal. Não deixou de me surpreender encontrar neste livro um Ricardo Reis só e distante, bastante interesseiro (pelo menos no plano amoroso), demasiado escrupuloso em relação classes sociais inferiores à sua e um bocadinho como que um vencido da vida.

Como pontos a favor da história, não posso deixar de apontar o excelente enquadramento histórico que Saramago faz e que nos deixa perceber melhor esse ano de 1936, o ano em que Ricardo Reis regressa à pátria, onde vem a morrer. Também gostei bastante da personagem Lídia, creio que por ser muito correcta e íntegra. Como ponto negativo, eu diria que acho que foi algo arriscada a opção de fazer surgir o fantasma de Fernando Pessoa na história, algo que não acrescenta muito e que acaba por confundir, mais do que servir a narrativa.

Sendo um livro de José Saramago, não é de estranhar que a narrativa seja bastante densa (com parágrafos muito extensos) e que eu não recomendaria a quem não está habituado ou a quem não gosta do estilo do autor. Para quem já leu alguns livros dele sabe bem que ele mastiga (demasiado, atrevo-me a dizê-lo) as histórias que se propõe contar. Mas se calhar é aí que está o encanto que não deixo de reconhecer a cada livro que dele leio.

Em todo o caso, acho que estava à espera de uma história algo diferente... Julgo que daqui se podia extrair mais (ou melhor). A ideia era tão boa e podia ter sido tão bem aproveitada...

Não quero, contudo, com isto dizer que não vale a pena ler o livro. Antes pelo contrário... Um livro de Saramago nunca deixa ninguém indiferente nem desilude. Obrigado butterfly-noir por me dares a oportunidade de ter lido este livro.

Journal Entry 5 by butterfly-noir from Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Tuesday, July 25, 2006
já esta de novo arrmadinho na estante.

já sabes jota-p a minha bookshelf esta a disposição para emprestimos ;)

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.