O Meu Irmão

by Afonso Reis Cabral | Literature & Fiction |
ISBN: Global Overview for this book
Registered by fungaga of Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on 12/13/2016
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
6 journalers for this copy...
Journal Entry 1 by fungaga from Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Tuesday, December 13, 2016
Este livro vai viajar como prenda da troca de Natal 2016. Boas festas e leituras felizes!

Journal Entry 2 by PaiNatal at Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Tuesday, December 13, 2016
Mais um livrinho pelo ar, a ver vamos onde vai aterrar! HO HO HO! Festas Felizes!

Journal Entry 3 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Monday, December 19, 2016
Muito agradeço o envio deste livro, pelo qual já vinha nutrindo curiosidade desde que foi anunciado o prémio Leya desse ano :)

Peço desculpa por ter aberto logo, mas pensava que era um outro livro que ia receber ;___;

Muito obrigada e BOAS FESTAS! =D

Journal Entry 4 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Tuesday, February 21, 2017
Agora que li o livro, tenho de agradecer imenso pela oportunidade de o ler. Achei-o, simplesmente, brilhante( ao contrário das minhas expectativas). Um livro denso, que na verdade desconstrói um personagem tendo como base um assunto delicado, sempre tratado de uma forma tão realista como cruel.

Digo mais: http://naomeapeteceestudar.blogspot.pt/2017/02/o-meu-irmao.html

Foi enviado hoje para a xtorya a propósito da Lotaria de Inverno 2017, sendo que espero que o aprecie tanto como eu. :)

Muito obrigada!

Journal Entry 5 by xtorya at Cercal do Alentejo, Setúbal Portugal on Thursday, February 23, 2017
Recebido na Lotaria de Inverno, de Arvores.
Obrigada, ladylouve!

Journal Entry 6 by Jota-P at Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Monday, September 11, 2017
O livro está comigo!

Lembro-me de se ter falado bastante do autor e deste livro quando saiu, portanto é com alguma expectativa que o irei ler!

Obrigado à xtorya pelo envio e ao Arvores pela organização da Lotaria de Verão 2017!

Journal Entry 7 by Jota-P at Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Thursday, February 01, 2018
Tinha grande curiosidade sobre este livro, pois correram rios de tinta quando ele foi publicado. Penso que o facto de o autor ser sobrinho-neto de Eça de Queirós fez com que se tivesse dado ainda mais ênfase ao autor e ao seu livro. Tanto se falou sobre isto que, inconscientemente, fiquei com uma certa sensação de que não ler este livro seria um grande prejuízo para a minha cultura literária pessoal. Vai daí, fiquei contentíssimo quando ele chegou até mim, pois finalmente iria ter a oportunidade de o ler.

Agora que terminei, devo dizer que as minhas expectativas saíram um bocadinho goradas... Não haja dúvidas de que Afonso Reis Cabral sabe escrever de forma cuidada. Ele consegue transmitir de forma bastante clara tudo aquilo que pretende e, por via das recorrentes referências literárias (e não só), percebe-se que, apesar dos seus 24 anos da altura, era já uma pessoa com uma vasta cultura geral, ou pelo menos, literária.

Infelizmente, não posso dizer que este livro me tenha encantado totalmente. A verdade é que a determinada altura, a história começou a aborrecer-me.
Não vou discutir aqui os méritos que o livro tem por tratar de um tema que, supostamente, não é muito abordado, pelo menos na literatura portuguesa, até porque na minha opinião o cerne desta história não é tanto a vivência de uma personagem com síndrome de Down, mas mais a relação que um seu irmão estabelece com ele e que, apesar das aparências, se vai revelar bem mais egoísta do que inicialmente estaríamos à espera.

E é aqui que, para mim, está o grande problema de O Meu Irmão. Afonso Reis Cabral lá vai aguentando a narrativa com as histórias de vida dos irmãos, intercaladas com a história do que se passa na actualidade, ou seja, no momento em que o narrador chega ao Tojal e se vai ver confrontado com as personagens que ali habitam. No entanto, no fim, o autor tenta despudoramente "puxar-nos" o tapete de debaixo dos pés com um acontecimento que pretende deixar-nos de queixo caído... Mas esse acontecimento não me surpreendeu nada, ou melhor, não me surpreendeu pelas razões que o autor desejaria surpreender... É sempre tão difícil e arriscado inserir uma "reviravolta" convicente na intriga e o facto de aqui ela acontecer mesmo no final, apenas serviu para me baralhar enquanto leitor, uma vez que tornou a personagem que nos narra a história totalmente incoerente. Não é que a personagem tivesse de mostrar remorso ao longo da narrativa nem que tivesse obrigatoriamente de haver um castigo à espreita por causa do crime cometido (eu não sou daqueles que acredita que a força do universo venha a punir os culpados que cometam uma afronta ao dito universo... essa não é mais do que uma idealização do ser humano que precisa de acreditar que o universo se move a favor da justiça, mas que, na minha opinião, não tem tradução na realidade). A incoerência está precisamente no facto de, por exemplo, se falhar a explicação de como é que alguém que não tem remorso de algo que fez num passado próximo se preocupar com o que outra pessoa retratada como não tendo princípios morais (o Quim) possa ter feito aos seus pais? Concretamente falando, o que é que impeliu o narrador a ir a casa daqueles camponeses confirmar se estavam mortos ou não, numa das muitas peripécias que se desenrolam na parte do romance dedicada ao Tojal? Não bate certo, pelo menos para mim...

Existem muitos exemplos de boa literatura sobre gente banal, por isso não é o facto de a história se centrar em gente banal que a torna desinteressante. Mas eu achei esta em específico bastante maçadora e sem um objectivo claro definido. Infelizmente, senti praticamente o mesmo ao ler este livro que senti quando li outro prémio Leya (O Teu Rosto Será o Último de João Ricardo Pedro). Será que havia alguma genialidade que me escapou à primeira leitura nestes dois livros? Tenho imensa pena, mas para me aborrecer e maçar, bastou a primeira, e única, leitura.

Em todo o caso, agradeço muito à xtorya o facto de ter feito este livro chegar até mim, pois asim tive oportunidade de o ler e formar uma opinião!

Journal Entry 8 by Jota-P at Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Monday, May 07, 2018
E já que este livro entrou no circuito das lotarias organizadas pelo Arvores, vai amanhã mesmo seguir para a vencedora da Lotaria de Primavera 2018. Espero que ela nunca o tenha lido (pelo menos, não o encontrei na sua prateleira virtual) e que seja do seu agrado!

Journal Entry 9 by marialeitora at Vila Real, Vila Real Portugal on Friday, May 11, 2018
lalalalala que ganhei a lotaria da Primavera 2018, do árvores! Obrigada! A ambos :)

(é um dos que tenho na minha lista: a ler! :) obrigada, Jota! )

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.