Contos de cães e maus lobos

Registered by MargaridaB of Costa da Caparica, Setúbal Portugal on 1/8/2016
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
5 journalers for this copy...
Journal Entry 1 by MargaridaB from Costa da Caparica, Setúbal Portugal on Friday, January 08, 2016
A escrita encantatória de Valter Hugo Mãe chega ao conto como uma delicadíssima forma de inclusão. Estes contos são para todas as idades e são feitos de uma esperança profunda.

Entre a confiança e o receio, cães e lobos são apenas um símbolo para a ansiedade perante a vida e a fundamental aprendizagem de valores e da capacidade de amar. Entre a confiança e o receio estabelecemos as entregas e a prudência de que precisamos para construir a felicidade.

Journal Entry 2 by MargaridaB at Costa da Caparica, Setúbal Portugal on Monday, January 18, 2016
"Percebi que para dentro de nós há um longo caminho e muita distância. Não somos nada feitos do mais imediato que se vê à superfície. Somos feitos daquilo que chega à alma e a alma tem um tamanho muito diferente do corpo" (pág. 85)

Adorei a leitura deste livro! Os contos que mais me deliciaram foram: A menina que carregava bocadinhos; A princesa com alma de galinha; O rapaz que habitava os livros e Bibliotecas.

Irá seguir em bookring brevemente.

Journal Entry 3 by MargaridaB at Costa da Caparica, Setúbal Portugal on Tuesday, January 19, 2016

Released 3 yrs ago (1/19/2016 UTC) at Costa da Caparica, Setúbal Portugal

CONTROLLED RELEASE NOTES:

BookRing - JAN 2016

01- Cokas
02- xtorya
03- ladylouve

Journal Entry 4 by Cokas at Almada, Setúbal Portugal on Thursday, January 21, 2016
Chegou hoje. No momento certo. Não que vá conseguir lê-lo todo rapidamente. Pelo contrário, até deverei demorar mais do que o habitual. Mas chegou para me acompanhar num momento muito importante - será a minha última companhia amanhã, enquanto aguardarei ser chamada para uma pequena operação. Obrigada MargaridaB!

Journal Entry 5 by Cokas at Almada, Setúbal Portugal on Saturday, January 30, 2016
Valter Hugo Mãe não desilude. Valter Hugo Mãe não desilude. Valter Hugo Mãe não desilude...

Apetece dizer isto mil vezes. Este pequeno livro de contos vem comprovar, uma vez mais, a facilidade com que o autor se move em vários géneros literários, bem como uma perceção profunda, quase metafísica, do ser humano e das suas circunstâncias e idiossincrasias - provavelmente derivada, como Mia Couto habilmente descreve no prefácio, da uma timidez que lhe confere um olhar perscrutador e uma atenta escuta.

Contos de Cães e Maus Lobos é um conjunto de pequenos textos maravilhosos que nos vão despindo paulatinamente até ficarmos apenas como viemos ao mundo - sem roupas e outros adereços, que é o mesmo que dizer sem camuflagens nem preconceitos, capazes, então, de olharmos para mais do que o nosso próprio umbigo. Na verdade, qualquer nudez obriga-nos a olhar para dentro de nós, vira-nos do avesso.

SPOILERS:

1. A Menina que Carregava Bocadinhos é uma estória deliciosa sobre a liberdade mais importante, que é sempre a que se conquista e se carrega pela vida fora ao lado das cicatrizes das feridas de combate. A menina a quem, por condição social, não era permitido ser bonita fez todo o percurso de traça cor de pano cru a borboleta de asas de seda brilhante, o que lhe permitiu voar pelos céus da liberdade.

«Era um tecido luminoso que quase não obedecia às mãos. Soltava-se nos gestos como uma coisa viva que quisesse caminhar no vento.»

«Ser bonita estava absolutamente fora das suas competências.»

«De tudo quanto alguma vez carregara, o amor era o mais difícil de segurar.»

2. O Menino de Água é uma estória tão curta quanto a brevidade da existência de um filho que morre; mas, ao mesmo tempo, gigante como o amor de sua mãe. Um conto que fala de desespero, de dor, de saudade; mas que só nos acena com amor. Porque o coração de mãe é a maior fábrica deste sentimento, laborando 24 sobre 24 horas, sem dias de folga, sem férias.

«Nunca secava o corpo porque a água era agora o seu menino.»

«Quando sentia a roupa e a pele seca, dizia: partiu. Como se o filho levantasse do colo.»

«Depois, afundou um soldadinho para que a água pudesse brincar.»

«Amaria e culparia o mar até ao infinito.»

3. Querido Monstro conta a estória de um rapaz e dos seus dois improváveis amigos imaginários, um monstro triste e um lobo velhinho, e de como o marasmo dos dias tépidos da infância e puberdade pode ser avivado pela invasão súbita de uma paixão adolescente. As mulheres, sempre as mulheres, a resgatarem os homens dos seus mundos tenebrosos.

«Nenhuma tristeza define obrigatoriamente o que podemos fazer no dia seguinte.»

4. A Princesa com Alma de Galinha fala-nos de uma futura rainha que ambicionava «ser enfermeira, para cuidar das pessoas racionais e irracionais» e que é mal interpretada por todos, inclusive pelo rei, seu pai. Pessoalmente, não foi um conto que me marcasse.

5. O Rosto conta-nos a estória de um rapaz que vive, isolado, no cimo de um monte, apenas com seus pais e alguns animais. Com um pano de fundo árido - onde o silêncio se habitua a tomar conta dos momento, as tarefas são realizadas ao ritmo da Natureza e os sonhos são espartilhados pelo que a vista alcança -, este conto abre uma fenda de luz no crescimento de uma criança que, indo para a escola, conhece outros horizontes. Um elogio à classe dos professores, tantas vezes agentes impulsionadores de novos modos de pensar, de sonhar e de ver o mundo.

«Nesse dia voltei da escola como se tivesse a tampa da cabeça aberta e os pensamentos me fugissem para o vento.»

«Para dentro de nós há um longo caminho e muita distância. Não somos nada feitos do mais imediato que se vê à superfície. Somos feitos daquilo que chega à alma e a alma tem um tamanho muito diferente do corpo.»

6. O Rapaz que Habitava os Livros faz qualquer leitor assíduo recordar a incapacidade de terceiros entenderem o prazer de se passar o tempo mergulhado noutros mundos. Mas também nos ensina, através de uma brincadeira inocente, como pode ser belo "brincar de beleza", que é como quem diz vestir o fato de poeta, olhar o mundo com olhos de criança e só ver a beleza de tudo. Até de um beijo imaginário entre os pais e avós: "que lindo".

«Todos os livros são conversas que os escritores nos deixam.»

«Os livros acontecem dentro de nós.»

«Ler é como caminhar dentro de mim mesmo.(...) Quando lemos, estamos a percorrer o nosso próprio interior.»

7. Modo de Amar é um conto simples, de apenas duas páginas, sobre a capacidade que temos de amar no abstrato, porque um coração - órgão vivo, não peça de relógio mecânica - não pode servir só para bombear sangue mas também para guardar amores.

«Quem se vê proibido de amar inventa outra realidade, uma realidade melhor, ainda que seja por fantasia.»

8. O Mau Lobo parece-me o parente mais pobre desta família de contos, quase a música mais aborrecida da banda de que somos fãs. Não me identifiquei com a estória e nem sequer houve volte face no final...

9 As Mais Belas Coisas do Mundo trouxe-me à memória a relação com os meus avós e a importância que ela teve e continua a ter em mim. Porque vestir o abraço de um avô/avó é como colar uma segunda pele ao corpo e nunca mais passar frios de espírito porque se tem um verdadeiro manto de afetos, de valores e de conhecimentos.

«Para estudar o coração das pessoas é preciso um cuidado cirúrgico.»

«Há uma felicidade para os tempos difíceis. Sei que é importante seguir à sua procura.»

«De cada vez que a nossa cabeça resolve um problema aumentamos de tamanho.»

«A minha avó ficou doente e precisou de morrer.»

«Quem não acredita não está preparado para ser melhor do que já é.»

10 Quatro Velhos conta a história de dois casais de velhotes que vivem no mesmo monte, cada qual numa ponta do mesmo, separados não apenas por uma rua estreita mas também pela teimosia, como «pedras duras, casmurras, aos trambolhões».

11 Bibliotecas é um elogio à leitura com que qualquer leitor se identifica. Pequeno e simples, como todas as jóias.

«Os livros são parentes diretos dos aviões, dos tapetes-voadores e dos pássaros.»

«Alguns leitores, um dia, podem aprender a escrever. Aprendem a escrever livros. São como pessoas com palavras por fruto, como as árvores que dão maçãs ou laranjas. Pessoas que dão palavras.»

«Todos os livros são infinitos. Começam no texto e estendem-se pela imaginação.»

Obrigada, MargaridaB por esta oportunidade de leitura. Partilhar livros é amá-los. E nós sabemos bem o que isso significa :)

Journal Entry 6 by Cokas at Almada, Setúbal Portugal on Wednesday, February 10, 2016

Released 3 yrs ago (2/10/2016 UTC) at Almada, Setúbal Portugal

CONTROLLED RELEASE NOTES:


Enviado hoje, por correio editorial, à xtorya. Boas leituras!

Obrigada, MargaridaB, por este ring.

Journal Entry 7 by xtorya at Cercal do Alentejo, Setúbal Portugal on Friday, February 12, 2016
Recebido hoje. Obrigada, Cokas, espero que a tua pequena operação tenha corrido bem.

Journal Entry 8 by xtorya at Cercal do Alentejo, Setúbal Portugal on Monday, February 22, 2016
Acabei agora a leitura deste livro. Não conhecia este autor. Gostei!
Os meus preferidos foram "A menina que carregava bocadinhos", " O rosto" e "O rapaz que habitava os livros".
Vai seguir para a ladylouve.

Journal Entry 9 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Saturday, February 27, 2016
Chegou, muito obrigada!

Tentarei ser breve, mas ainda poderei demorar um pouco. Estou ansiosa por o ler, já que adoro este autor e... Também adoro cães! Hehehe

Journal Entry 10 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Friday, March 18, 2016
Quando se lê, há sempre um livro que - de quando em quando - nos arrepia até aos ossos. Este foi um deles. Adorei de paixão. <3 Foi como se eu, como adulta, fosse uma criança com a "sabedoria" dos adultos. Uma escrita maravilhosa, preciosa.

Não posso dizer qual o conto de que gostei mais, porque adorei todos de forma igual.

Deixo-vos o meu comentário no blog, também: http://naomeapeteceestudar.blogspot.pt/2016/03/contos-de-caes-e-maus-lobos.html

Gostei tanto que acho que vou comprar um igual para mim!

Regressa agora a casa, muito obrigada por esta excelente partilha!

Journal Entry 11 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Wednesday, April 13, 2016
Peço desculpa por ter demorado este tempo todo na devolução, estas semanas foram um pouco cheias....

Agora, regressa a casa!

Muito obrigada!

Journal Entry 12 by MargaridaB at Costa da Caparica, Setúbal Portugal on Monday, April 18, 2016
Já está em casa! :)

Journal Entry 13 by MargaridaB at Costa da Caparica, Setúbal Portugal on Monday, September 26, 2016

Released 2 yrs ago (9/26/2016 UTC) at Costa da Caparica, Setúbal Portugal

CONTROLLED RELEASE NOTES:

Segue como empréstimo para o Arvores. Espero que gostes! Boa leitura!! :)

Journal Entry 14 by wingArvoreswing at Porto Santo (ilha), Madeira Portugal on Friday, September 30, 2016
Como disse noutro tópico, gosto de cultivar amores, daí a vontade de ler este livro, querendo muito que seja bom e me deixe apalermado até aos ossos (sim porque, a alma já anda estouvadinha de todo há muito tempo ).
Como fiquei desiludido com "A Desumanização", quero muito que este corra bem (assim como o que vai sair na próxima segunda-feira)
Obrigado pela partilha.

Journal Entry 15 by wingArvoreswing at Porto Santo (ilha), Madeira Portugal on Tuesday, October 04, 2016
Já conhecia alguns dos contos (do JL, creio, e O Rosto, de um outro livro). Li tudo como se fosse a primeira vez, com o mesmo encantamento. Fiquei rendido e emocionado com "O menino de água". "As mais belas coisas do mundo" trouxeram de volta os meus avós, o seu carinho e a sua sabedoria. Um dia também ficaram muito cansados e precisaram de morrer.
Mais uma vez, o Valter consegue colocar a sua sensibilidade naquilo que escreve, levando o leitor ao encontro do melhor de si e da sua memória.
Muito obrigado pela partilha. Já voltou hoje para casa.

Journal Entry 16 by MargaridaB at Costa da Caparica, Setúbal Portugal on Wednesday, October 12, 2016
Já chegou a casa :)

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.