Aquilo que eu amava

by Siri Hustvedt | Literature & Fiction |
ISBN: 9789724144290 Global Overview for this book
Registered by w_a_s_p on 3/8/2015
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
6 journalers for this copy...
Journal Entry 1 by w_a_s_p on Sunday, March 08, 2015
"Nova Iorque, 1975. Numa galeria de arte, no Soho, Leo Hertzberg apaixona-se por um quadro, compra-o e decide procurar o seu autor, Bill Wechsler. O encontro entre eles vai dar início a uma amizade que vão manter até ao fim das suas vidas.
Pela voz de Leo, e com o universo altamente simbólico do competitivo e caprichoso meio artístico nova-iorquino como pano de fundo, é-nos desvelada uma história de paixão e tragédia que abarca vinte e cinco anos e envolve o narrador, a sua mulher, Erica, professora de Literatura, a amizade com o provocador Bill, a paixão que secretamente nutre pela musa e segunda mulher deste último, Violet, e os filhos de ambos, Matthew e Mark.
Uma intrincada constelação de ligações que permite a construção de um perturbante léxico de obsessões eróticas e insinuações de violência, à medida que a sua labiríntica história se desenrola e percorre as sinuosidades de um trajecto tão irremediável quanto humano. Ao juntar as vulgares tormentas da vida familiar, as sensibilidades acentuadas dos artistas e uma criminalidade grotesca e surpreendente, Siri Hustvedt leva a cabo uma reflexão sobre o lado negro dos laços familiares, da criatividade e do pesado fardo do amor."

Gostei mesmo muito. A estória e a escrita são muito boas e aborda de forma excelente uma série de temas.

Journal Entry 2 by w_a_s_p at Vila Real, Vila Real Portugal on Monday, March 09, 2015
Vai sair em bookring:

- joaquimponte
- Pequete
- irus
- ladylouve
- Jota-P



Regras:
- Não escrever no livro.
- Não ultrapassar o prazo máximo de um mês na posse do mesmo.
- Fazer uma JE quando receberem o livro e outra quando o enviarem. Se possível, deixem também a vossa opinião.

Edit (16/03/2015): Enviado hoje para o joaquimponte.

Journal Entry 3 by joaquimponte at Lisboa - Lumiar , Lisboa (cidade) Portugal on Friday, March 20, 2015
Já esta ao meu lado "aquilo que eu amava". Obrigado w_a_s_p

Journal Entry 4 by joaquimponte at Lisboa - Lumiar , Lisboa (cidade) Portugal on Tuesday, March 31, 2015
Esta é uma história bem contada, capaz de criar um crescendo de interesse e até um certo clima de suspense, no seio de um enredo que em si mesmo é banal. Seduz-nos com dialogos inteligentes, por vezes originais, uma cultura vasta centrada no âmbito da arte, personagens ricos , complexos de uma densidade psicologica que me pareceu profunda.

Todo o enredo decorre no seio de duas familias de classe media, culta, do meio artístico de N.York (entre os anos 60-80 do seculo XX). É portanto uma história "insular", no espaço em que decorre ( uma poucas casas e ruas de NY) e no pequeno numero de personagens fora das familias envolvidas . Possui algo de uma peça de "Teatro"..

Apesar desta limitação , que podia tornar o livro interessante mas banal, surge a meio da história um acontecimento fulcral que muda tudo: a morte de um personagem ( não o cito para não perturbar a leitura que se segue). E aqui Siri começa a conquistar-me. Sua descrição do sentimento de perda que nos faz a todos sentir como uma casca de noz atingida por uma tempestade que não sabemos de onde surge, o choque e a irrealidade da perda, são descritas com um pormenor, uma delicadeza, que são iguais em NY ou em qualquer parte do mundo onde haja um homem ou uma mulher.

Assim, dei por mim, a querer "coscuvilhar" a vida destas gentes, o que pensavam, o que iriam fazer. isto apesar da tal sensação de irrealidade, como se toda a cidade de NY tivesse ficado silenciosa para que esta história decorresse.

O intimismo, a solidão ( a amizade ajuda mas não a impede,, como se vivessemos numa redoma mental de onde seja dificil sair..ou entrar), as culturas suburbanas proprias de uma grande cidade, com suas taras , são temas recorrentes em alguma literatura americana , sobretudo em Paul Auster ( com quem Siri é casada).
O tempo da perda é o tempo mitico desta obra , gerando solidão e um sentimento de absurdo na vida, apesar do bem estar material ou da sofisticação cultural.

Termino referindo o simbolo que julgo resumir esta obra: o mito grego de Ícaro. A autora refere, a certa altura, que o pai de Ícaro, ao privilegiar sua própria liberdade, levou à morte do filho ( analogia ao enredo). E no entanto nao é assim o mito.. pois Ícaro, se não decidisse voar com asas próprias teria perecido na mesma dentro do Labirinto.. E aqui há uma dupla analogia propositada para reflexão ... Repare-se que Mark foi sempre influenciado pelos desenhos de da Vinci, Ícaro sobretudo."Se voamos demasiado longe as asas derretem e NY afoga-nos na solidão e na ..loucura."

São estranhos os caminhos que a vida percorre, o modo como a vida muda e deambula, o modo como as coisas se transformam em outra coisa. Este é um Conto de Nova York.

E segue para deleite da pequete , na sequencia do ring . Obrigado w.a.s.p.

Journal Entry 5 by Pequete at Bragança, Bragança Portugal on Monday, April 06, 2015
E já cá está, obrigada, joaquimponte, é sempre bom abrir a caixa do correio e encontrar um livro lá dentro! Vai para a pilha TBR, mas não por muito tempo, é só terminar O Apocalipse dos Trabalhadores que tenho em mãos e será o seguinte.

Journal Entry 6 by Pequete at Bragança, Bragança Portugal on Wednesday, April 15, 2015
Gostei mesmo muito deste livro (muito brigada, w_a_s_p, pela partilha!). A história começa devagar, mas agarrou-me desde o início, pois centra-se em dois temas que me interessam particularmente, a arte e a literatura. À volta deles, desenvolve-se o enredo, sobre a amizade, o amor, a obsessão e a perda. É um livro cheio de pormenor e informação, mas essa densidade, ao invés de o tornar fastidioso, confere-lhe um interesse maior e a leitura torna-se surpreendentemente fácil, à medida que a história se desenvolve, com um toque de suspense que me fez andar atrelada ao livro para o poder ler em cada pequeno momento livre e, já perto do fim, ficar acordada até tarde para o poder terminar.
Vai seguir para a irus, próxima da lista, assim que me puder encontrar com ela.

Journal Entry 7 by Pequete at Bragança, Bragança Portugal on Friday, April 17, 2015
Já vai a caminho da irus, foi entregue hoje de manhã a mensageiro especial...

Journal Entry 8 by irus at Bragança, Bragança Portugal on Friday, April 17, 2015
Entregue, numa altura excelente, em que acabo de terminar um livro.
Será pois, leitura de fim de semana e dos dias que se seguirem.

Obrigada w_as_s_p e Pequete (e desculpa os desencontros)

Journal Entry 9 by irus at Bragança, Bragança Portugal on Monday, May 04, 2015
Dou-me conta que li o livro num instante, apesar da densidade e das letras pequeninas. Como os leitores anteriores fiquei agarrado ao universo íntimo das personagens, à intensa amizade que os une, aos gestos que demonstram essa amizade, aos amores e desamores e ao intenso sentimento de perda e dor depois da morte de um dos personagens, muito bem descrito.

Fiquei também fascinada pelo trabalho de Bill, a tal ponto que gostava imenso de ver uma exposição real, com as suas caixas e portas. E pelas reflexões sobre arte e literatura, e pelo detalhe com que vamos seguindo os livros que as personagens vão escrevendo. O que poderia ser acessório num livro, transforma-se naquilo que atrai; sobretudo os livros de Violet, e que me ensinaram sobre histeria e desordens alimentares.

Se tivesse lido apenas dois terços do livro, diria que é magnífico. No entanto, já não gostei tanto da parte final; pareceu-me forçada e pouco verosímil a viagem de Leo em busca de Mark, o ambiente policial que acaba de uma forma abrupta, com a chegada de outra testemunha, como se tratasse de um mau filme de ação.

Mesmo assim este é um livro que me reconciliou com Siri Hutsvedt (de quem só tinha lido o banal Verão sem homens).


O JotaP não tem disponibilidade para ler o livro agora, mas pede para ser colocado no fim da lista. Já contactei ladylouve, e vou enviar-lhe o livro esta semana.

Journal Entry 10 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Tuesday, May 12, 2015
Recebido ontem, muito obrigada!

Poderei demorar um bocadinho a chegar a ele, mas tentarei não ultrapassar o prazo de um mês ;)

Journal Entry 11 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Friday, May 22, 2015
Gostei imenso, de paixão! Muito obrigada pela partilha!

O meu comentário: http://naomeapeteceestudar.blogspot.pt/2015/05/aquilo-que-eu-amava.html

Agora irá viajar até ao próximo leitor :)

Journal Entry 12 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Monday, June 01, 2015
Segue hoje para o seu novo destino :)

Obrigada!

Journal Entry 13 by Jota-P at Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Thursday, June 04, 2015
Chegou hoje até mim, e estou bastante curioso para o começar a ler.

Obrigado à ladylouve pelo envio e à w_a_s_p por o ter lançado nesta viagem pelo mundo!

Journal Entry 14 by Jota-P at Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Tuesday, September 01, 2015
Depois de tantos e tão bons comentários (de bookcrossers insuspeitos!), pouco mais há a dizer.

Apesar de me ter inscrito neste BookRing sem saber muito bem o que ia encontrar, fiquei espantado com o facto de me ter sido tão difícil avançar com a leitura da prosa de Siri Hustvedt. Demorei demasiado tempo a terminá-lo... Talvez tenha a ver com o facto de a letra ser pequena, o que engana um pouco.

No entanto, é inegável que o livro está muito bem escrito. A subtileza da escrita da autora torna-a muito apelativa e mantém-nos interessados, ainda que a história pareça avançar lentamente, sem grandes sobressaltos. Porém, e ainda que pareça que pouca coisa acontece, dificilmente conseguimos antecipar o que vai suceder a seguir. É como se estivéssemos num quarto escuro e fôssemos avançando apenas com a ténue luz de uma vela a alumiar-nos. Tal como como acontece sempre que leio um dos livros do marido de Siri Hustvedt (o famoso escritor Paul Auster), fiquei com a sensação que, mais importante que chegar a algum lado, é o caminho que se percorre até lá. Ou seja, mais do que dar atenção àquilo que conta, Hustvedt dá mais atenção à forma como conta.

Este livro tem tantos temas que é difícil destacar um. O amor, o valor da amizade, os laços familiares (não necessariamente de sangue), a obsessão e o ciúme, a violência desmedida, a arte (« - Quer dizer que tudo pode ser arte? Que basta que as pessoas digam que é arte para que passe a ser arte? Que até eu posso ser arte? - Exactamente. É a perspectiva que conta, não o conteúdo.» pág.225)... Enfim, tudo aquilo que nos torna humanos, ainda que as motivações ou o que subjaz seja precisamente o que está por debaixo do fino verniz que é a nossa "humanidade". «(...) [eles eram] claros exemplos de uma indiferença que muitos consideram monstruosa e antinatural; mas, na realidade, eles não eram casos únicos e as suas acções eram reconhecivelmente humanas. A equiparação do horror ao inumano sempre me pareceu falaciosa (se bem que cómoda) (...)» (pág.385).

Para mim, esta é uma história de "desagregação", não só de um ser (ou vários seres) individual(ais) (que, no entanto, se projectam uns nos outros), mas também dos laços que unem as personagens. Haverá espaço a alguma redenção? A amizade e o amor tudo podem redimir... Mas o que fica para além disso quando eles se desvanecem?

Gostei muito de ler este livro, ainda que o não tenha feito de uma forma corrida e sem pausas de alguns dias. Em todo o caso, é um livro muito bom. Sem dúvida que esta é uma autora com uma voz própria que vale a pena conhecer!

«(...) a verdade é muitas vezes algo de confuso e indistinto, um emaranhado de acidentes e equívocos que convergem para dar uma impressão de inverosimilhança (...)» (pág.205)



Muito obrigado w_a_s_p por teres posto este livro à nossa disposição para que o pudéssemos ler e apreciar!

Journal Entry 15 by w_a_s_p at Vila Real, Vila Real Portugal on Tuesday, September 15, 2015
Já chegou. Ainda bem que todos gostaram.

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.