Vinte Anos e um Dia

by JORGE SEMPRÚN | Literature & Fiction |
ISBN: 9789724140193 Global Overview for this book
Registered by Maria-Nunes of Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on 8/22/2014
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
7 journalers for this copy...
Journal Entry 1 by Maria-Nunes from Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Friday, August 22, 2014
livro gentilmente oferecido à conto pela Polliejean (mas sem BCID); tendo eu servido de intermediária :-)

Journal Entry 2 by wingcontowing at Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Thursday, September 11, 2014


Obrigada Maria-Nunes, pelo transporte, e obrigada Polliejean pela generosidade e pela oportunidade de assim substituir este livro que se perdeu a meio do Bookring que para ele tinha organizado há já 9 anos atrás (!!).
Quem estava inscrito na altura há muito que não aparece aqui pelo BC, pelo que vou anunciar de novo no fórum, a ver se mais/outr'alguém está interessado e se relanço afinal o Bring ou não.

Journal Entry 3 by wingcontowing at Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Thursday, September 11, 2014


E dado que há interessad@s, vai então prosseguir o caminho do livro perdido e com as regras do costume, ou seja:



Quando receberem o livro façam por favor uma JE e vão-na actualizando (ou fazendo novas, como preferirem) à medida que o forem lendo e enviando ao próximo da lista.
Se virem que não o conseguem ler num prazo razoável, peçam para passar a vossa vez, ou passem-no à próxima pessoa, pois pode-se alterar a ordem prevista sem que percam a oportunidade de o ler.
E por favor digam o que acharam da leitura - esta é a parte mais interessante das JEs, quanto a mim!

Lista de "inscritos":
1- cometa54
2- ladylouve
3- FallenAngels
4- Arvores
5- marialeitora
6- ...

De volta a casa. => está aqui!

Journal Entry 4 by cometa54 at Setúbal, Setúbal Portugal on Wednesday, September 24, 2014
Ó desculpe!
Levantei o livro na 6ª feira, 19 de Setembro/14 e agora lembrei-me que não fiz registo de entrada.
Estava no finzinho de «Bombaim - A um mundo de distância», daí estar este aqui carinhosamente plantado, à esperaaaa.
Muito obrigada pelo envio.

Journal Entry 5 by cometa54 at Setúbal, Setúbal Portugal on Tuesday, October 21, 2014
Grande escritor, belo livro.
Estive 3 dias a fazer cera para ver se aumentavam o número de páginas, mas tal não aconteceu e tive que me render a terminá-lo.
É curioso como - penso que nunca me tinha acontecido - , à medida que lia ,ia tendo cada vez mais dúvidas e dúvidas. Não sobre a História de Espanha, da Guerra Civil, factos conhecidos, mas sobre aspectos em que me interrogava se eram pura ficção ou tinham um fundo de realidade.
Pensei que quando chegasse ao fim tinha de fazer umas investigações.

Entretanto ia lendo como que preenchendo um puzzle.
Foi anteontem de noite que cheguei à parte de tentar esclarecer as tais questões.
Foi muito fácil. Encontrei uma entrevista com Semprún e as respostas que precisava.

Acertei em cheio no que me ia parecendo, o puzzle ficou bem feito.

Estou a escrever de forma vaga porque não gosto de contar histórias quando ainda há quem vai ler. E não se esqueçam que sou suspeita, acredito que possam não gostar nada. Há uma, duas '´hist'orias ' que se vão repetindo e pode parecer circular. Mas para mim fez todo o sentido e não o achei.

Ponho o link da entrevista, mas por acaso parece-me que só devia ser lido no fim da leitura do livro. É sugestão, só.
http://portalivros.wordpress.com/2009/01/19/jorge-semprun-entrevista-a-proposito-de-vinte-anos-e-um-dia/

Et voilà , ainda há literatura.

Obrigada conto por me teres possibilitado a leitura de Semprún que há milhões de anos, tinha debaixo das vistas.

Segue para o/a próxima.

Journal Entry 6 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Monday, January 12, 2015
Acabadinho de chegar.

Irei iniciá-lo em breve, assim que terminar o que tenho entre mãos (que ainda é grandinho)

Obrigada, pelo envio e pela partilha!

Journal Entry 7 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Thursday, January 22, 2015
Fiz uma espécie de maratona para o terminar, pois na verdade já estava um pouco cansada deste livro. Tinha uma expectativa muito grande e desapontou-me bastante... Comentário mais detalhado: http://naomeapeteceestudar.blogspot.pt/2015/01/vinte-anos-e-um-dia.html

Ainda assim, obrigada pela partilha e pela experiência! Seguirá em frente! :)

Journal Entry 8 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Friday, January 30, 2015

Released 4 yrs ago (1/30/2015 UTC) at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal

CONTROLLED RELEASE NOTES:

Enviado há pouco, boa viagem! :)

Journal Entry 9 by FallenAngels at Parede, Lisboa (distrito) Portugal on Tuesday, February 03, 2015
Já cá está! Obrigada!!

Journal Entry 10 by FallenAngels at Parede, Lisboa (distrito) Portugal on Thursday, May 21, 2015
Não demorei vinte e um anos e um dia, mas quase. É que a leitura tem mesmo que ser lenta, caso contrário tudo se torna confuso. Trata-se de uma história circular, muito bem escrita e sempre cativante. As personagens estão tão bem caracterizadas que facilmente as vamos conhecendo. Tal como Semprun disse, podemos fazer uma leitura romanceada, histórica ou política, eu optei pelas três e com excelente resultado.

Obrigada pela partilha. Vai seguir para o Arvores...

Journal Entry 11 by wingArvoreswing at Viana do Castelo, Viana do Castelo Portugal on Thursday, May 28, 2015
Chegou!
Tenham paciência comigo, sim? Se eu não cumprir o prazo, não me mordam. Mas podem ladrar um bocadinho, vá :-)
Agradecido.
Abraços.

Journal Entry 12 by wingArvoreswing at Porto Santo (ilha), Madeira Portugal on Friday, January 01, 2016
Não gosto que o narrador se dirija a mim, quando leio. Esse foi um ponto negativo e irritante nesta leitura. Também me pareceu evitável todo o labirinto criado, as repetições na narrativa tornaram-se cansativas, pormenor que talvez se pudesse evitar se o narrador não divagasse tanto.
O facto de os três irmãos terem o mesmo nome próprio (José) e a alternância frequente entre o nome próprio e o apelido em vários outros personagens levou a que, frequentemente, me perdesse na sua identificação.
Confesso que tive dificuldades em manter o interesse na leitura até à primeira metade, sensivelmente. Talvez se pudesse ter resumido todo o enredo num belo conto, não muito longo, com um efeito muito mais intenso sobre o leitor (com este leitor teria resultado muito melhor, com certeza).
Mas, apesar de tudo, valeu a pena.

Seguiu caminho para a marialeitora, no dia 23.
Agradeço muito a oportunidade e peço desculpas por ter retido o livro por tanto tempo.

Journal Entry 13 by marialeitora at Vila Real, Vila Real Portugal on Friday, January 08, 2016
e já chegou! pego nele em breve...

Journal Entry 14 by marialeitora at Vila Real, Vila Real Portugal on Tuesday, January 19, 2016
Acabei!

Estou um pouco como o Árvores. Acho que dava um belo conto. De resto não gostei por aí além, embora tenha ficado fascinada pela referência recorrente (aiás com um papel importante na história) a um quadro de Artemisia Gentileschi, "“ Judite degolando Holofernes”, Não conhecia nem a pintora nem este quadro e fui pesquisar. Encontrei este artigo e gostei.

http://carter-carter-carter.blogspot.pt/2010/02/historia-apocrifa-de-judite-e_05.html

Vejam o excerto em que se fala, pela primeira vez na obra: «Capodimonte, 1936, Junho».
Mercedes Pombo tinha voltado o postal que reproduzia a preto e branco um quadro do museu de Nápoles. Contemplava, pensativa, as palavras que ela própria escrevera há vinte anos.
Sempre tivera a intenção de voltar um dia a Nápoles. A Nápoles e a Florença: há uma Judit parecida nos Uffizi. Mas não fora possível. [...] E em Nápoles, Mercedes foi sozinha ao museu de Capodimonte. [...] Acompanhava-a o ruído dos seus tacões sobre os ladrilhos de mármore do chão e das escadas, «um ruído que parecia preceder-me e seguir-me, e de repente vi-me diante daquele quadro... Parei, impressionada, não pelo tema, certamente; Judit e Holofernes são um tópico da pintura pelo menos desde que a pintura tem tópicos, temas impostos pela tradição... Por exemplo, dois dias antes, em Roma, José Maria e eu já tínhamos visto, juntos daquela vez um quadro homónimo de Caravaggio... Não era, então, o tema, mas a violência do tratamento pictórico, a serenidade dessa violência, a frieza de semelhante frenesim, a indecência provocadora do decote de Judite, a beleza juvenil da sua criada e ajudante na degolação feroz de Holofernes... Estavam ambas dedicadas a decapitar o general assírio com uma precisão um pouco distante, com um ar estranho, arrepiante, de complacência, quase de prazer... E aproximei-me para ver o nome do pintor e era uma pintora, uma mulher, Artemisia Gentileschi. Fiquei absorta diante da tela, imóvel, como que fulminada, até se terem aproximado, inquietos e solícitos, dois velhos vigilantes, preocupados sem dúvida com aquela imobilidade prolongada, receosos talvez de que me tivesse transformado numa estátua de sal, e não estariam totalmente equivocados: a minha alma, naquele instante, era um deserto de sal e de desejo...»

volta a casa!

Journal Entry 15 by wingcontowing at Lisboa (city), Lisboa (distrito) Portugal on Sunday, December 11, 2016
Lamento a falta de JE... Voltou a casa pouco antes de eu sair por tempos largos e fazer JE não era a prioridade. Depois esqueci, pois claro. Mas está cá há quase um ano e disponível para quem o quiser ler, pois claro!
Obrigada a tod@s.

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.