À espera no centeio

by J. D. Salinger | Literature & Fiction |
ISBN: 9722907034 Global Overview for this book
Registered by ladylouve of Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on 10/28/2013
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
7 journalers for this copy...
Journal Entry 1 by ladylouve from Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Monday, October 28, 2013
Copiado da Wikipedia, porque o livro não tem sinopse...

"The Catcher in the Rye é um romance do escritor americano J. D. Salinger. Publicado inicialmente em formato de revista, entre 1945-1946, nos Estados Unidos, foi posteriormente editado no formato de livro (capa dura) em 1951, tornando-se um dos romances mais lidos no país.

Originalmente publicado para adultos, desde então se tornou popular entre jovens leitores por lidar com temas tipicamente adolescentes como confusão, angústia, alienação, linguagem e rebelião. Foi traduzido para quase todas as principais línguas do mundo. Cerca de 250,000 cópias são vendidas todo ano, com um total de vendas de mais de 65 milhões. O protagonista e anti-herói do romance, Holden Caulfield, se tornou um ícone da rebelião adolescente.

O livro foi incluído na lista dos 100 melhores romances da língua inglesa escritas desde 1923 da Times em 2005, e foi nomeado pela Modern Library e seus leitores como uma das 100 melhores livros da língua inglesa do século 20. Tem sido frenquentemente censurado nos Estados Unidos e em outros países pelo uso liberal de palavras de baixo calão e retrato de sexualidade e dilemas adolescentes. Também lida com questões complexas de identidade, pertencimento, conexão e alienação."

O meu comentário: http://naomeapeteceestudar.blogspot.pt/2013/10/a-espera-no-centeio.html

Journal Entry 2 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Monday, November 11, 2013

Released 6 yrs ago (11/14/2013 UTC) at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal

CONTROLLED RELEASE NOTES:

BOOKRING

1. cleopatra23
2. Jota-P
3. MargaridaPires
4. Meg72
5. Cokas
6. Wiccaa
7. Arvores
8. awryn
9. ccardoso (Inglaterra)

Boas leituras!

Journal Entry 3 by Cleopatra23 at Vila Nova da Telha, Porto Portugal on Wednesday, November 20, 2013
Chegou hoje à minha caixa de correio. Começarei a lê-lo assim que terminar o que tenho em mãos.
Obrigada pela partilha.

Journal Entry 4 by Cleopatra23 at Vila Nova da Telha, Porto Portugal on Sunday, December 01, 2013
Vou iniciar a leitura hoje. ;)

Journal Entry 5 by Cleopatra23 at Vila Nova da Telha, Porto Portugal on Monday, January 06, 2014
Demorei um pouco mais do que previ, por isso, peço desculpa.

Gostei bastante do livro. Acho que devia ser lido no ensino secundário por tratar de tantos temas da adolescência.
Agora entendo o motivo de tantas referências em filmes e séries.
Obrigada pela partilha.
Vou contactar o Jota-P e fazer o livro seguir viagem.

Journal Entry 6 by Jota-P at Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Sunday, January 19, 2014
Oh, peço desculpa! O livro já está comigo desde Quinta-Feira, mas não tive oportunidade de vir aqui dizer que já o tinha recebido!

Já comecei a ler e tudo! Até agora ainda não aconteceu muita coisa... A ver vamos o que virá a seguir.

Obrigado Cleopatra23 pelo envio!

Journal Entry 7 by Jota-P at Sacavém, Lisboa (distrito) Portugal on Thursday, January 23, 2014
Já li, vi e ouvi tantas referências a este livro (nomeadamente noutros livros, filmes e séries televisivas, maioritariamente americanos) que não pude deixar passar a oportunidade de o ler quando a ladylouve o pôs a viajar em BookRing.
No entanto, a verdade é que eu não fazia a mínima ideia sobre que tema se debruçava esta história. Agora que já li o livro, acho ridículo (ou até um pouco hilariante) que tenha pensado que esta história se passava algures numa terreola erma dos Estados Unidos e que nos contaria a saga de uma família que, porventura, tiraria da terra o seu sustento! É que eu não podia estar mais enganado!

ATENÇÃO: a partir deste ponto, o meu comentário tem considerações que não deverão ser lidas por quem ainda não tenha lido o livro ou por quem não gosta de saber pormenores antes de o ler.

Aqui transcrevo (para memória futura) a parte da narrativa que justifica o título deste livro (e que em Inglês, recorde-se, é The Catcher in the Rye):

«Sabes o que gostava de ser? - disse eu. - Sabes o que gostava de ser? Quer dizer, se tivesse a merda de uma escolha?
- O que era? E pára de dizer palavrões.
- Conheces aquela canção «Se alguém apanha alguém que atravessa o centeio»? O que eu gostava...
- É «Se alguém encontra alguém que atravessa o centeio!» - disse a miúda Phoebe. - É uma poesia. Do Robert Burns.
- Bem sei que é uma poesia do Robert Burns.
Mas ela tinha razão. É mesmo «Se alguém encontra alguém que atravessa o centeio!» Mas naquele momento eu não o sabia.
- Pensei que era «Se alguém apanha alguém» - disse eu. - Mas enfim, ponho-me a imaginar uma data de miuditos a brincar a um jogo qualquer num grande campo de centeio e tal. Milhares de miuditos, e ninguém por perto, ninguém crescido, quero eu dizer, a não ser eu. E eu fico ali na borda de um abismo lixado. E o que eu tenho de fazer é ficar à espera no centeio e apanhar todos os que desatarem a correr para o abismo... Quer dizer, se vão a correr e não vêem para onde vão, eu tenho de saltar de um lado qualquer e de os apanhar. Era só isso que fazia o dia inteiro. Só estar ali à espera, a apanhar os miúdos no centeio e tal. Eu sei que é uma coisa maluca, mas é a única coisa que eu gostava de ser. Bem sei que é uma coisa maluca.» [tradução de José Lima]

Ora, a narrativa centra-se precisamente num jovem chamado Holden Caulfield, um anti-herói que passamos a conhecer na primeira pessoa e que se propõe a narrar «aquela história de loucos que [lhe] aconteceu o ano passado por volta do Natal antes de [se] ter ido completamente abaixo e de ter [ido] parar [ali] para [se] pôr em forma». Nem mesmo chegados ao fim do livro ele nos diz onde é que está, mas não restam dúvidas de que se trata de um hospital psiquiátrico onde psicanalistas (muito em voga nos anos 50) o interrogam com perguntas que ele considera «estúpidas».

Holden Caulfield é, portanto, o símbolo máximo do vazio social dos jovens burgueses americanos do pós-Segunda Guerra Mundial. Não se aplica na escola nem na esgrima (ainda que seja o chefe da equipa da modalidade no colégio que frequenta), fuma e bebe sem regras (apesar de só ter 16 anos), enfim, é um ser à deriva que não encontra motivação em nada do que o rodeia, tentando preencher o vazio que sente dentro de si, mas sem nunca o conseguir. E é isso que, no início nos soa um pouco estranho nesta personagem... Holden age a tudo com indiferença, dizendo que não quer fazer determinada coisa, mas acabando sempre por fazê-la. Na minha opinião, nem se trata da ausência de valores por parte de Holden (como de resto a passagem transcrita acima o demonstra: o facto de querer salvar os miuditos que brincam num campo de centeio à beira de um abismo - o vazio - em que ele próprio, a pouco e pouco, acabará por mergulhar) mas sim a ausência de um paradigma a que ele se possa agarrar. Sem dúvida que a perda do irmão mais novo foi uma experiência traumática para Holden e que justificará algumas das suas acções. Mas será só isso? Terá ele sido molestado quando era criança? «Conheço a porcaria de mais tarados, em colégios e tudo, do que toda a gente que alguém conheceu a vida toda, e é sempre quando eu estou por perto que lhes dá para a taradice». Será Holden um homossexual reprimido? Toda a sequência de pancada entre Holden e o colega de quarto Stadlater não será porque ele tem ciúmes da Jane Gallagher (com quem o Stradlater se terá envolvido...)? Além de toda a sequência da prostituta Sunny: «É verdade que fiquei um pouco esquisito quando ela fez aquilo. Quer dizer, foi assim tão de repente e tudo. Eu sei que todos acham que se fica bestialmente excitado quando alguém se levanta e tira o vestido pela cabeça, mas eu não fiquei. Sentia-me tudo menos excitado. Sentia-me muito mais deprimido do que excitado». E para não falar do devaneio desesperado de Holden de fugir de Nova Iorque com a Sally Hayes, rapariga de quem ele não gosta particularmente, para com ela viver na Nova Inglaterra em comunhão com a Natureza.

No fundo, é precisamente o facto de Holden ser uma personagem tão contraditória, e misteriosa, que a torna tão apelativa. E julgo que é por isso que com apenas um romance (o único que publicou), J.D. Salinger se tornou num dos mais importantes escritores americanos.

Curiosidades sobre este livro e sobre o autor que saíram na revista "Tentações" (suplemento da edição nº508 da revista SÁBADO - 23 a 29 de Janeiro de 2014):
- Salinger usa o itálico como forma de entoação do discurso. O escritor era especialista em diálogos que replicavam a forma de falar das pessoas.
- David Mark Chapman, o assassino de John Lennon, disse que a explicação para os seus actos está nas páginas deste livro. (O assassino terá sido preso com um exemplar do livro nas mãos).
- A família Caulfield surge em outras histórias do autor que não foram publicadas em livro, não por terem sido recusadas, mas porque Salinger não as quis editar. Glass é o apelido da outra família recorrente nas suas histórias ("Franny e Zooey", "Um Dia Ideal para o Peixe-Banana", "Carpinteiros, Levantai Alto o Pau de Fileira" e "Seymour: Uma Introdução").
- Em 1953 (dois anos após a publicação de À Espera no Centeio), Salinger deixou Nova Iorque para se isolar no campo em Cornish, New Hampshire (um desejo partilhado por Holden Caulfield). Viveu 50 anos em reclusão, recusando entrevistas e publicando cada vez menos.

Para terminar, resta apenas dizer que durante a narrativa são feitas imensas referências a livros (O Regresso do Nativo de Thomas Hardy, O Grande Gatsby de Fitzgerald) e músicas (dois exemplos: Tin Roof Blues e Little Shirley Beans)... Fica-se com vontade de procurar todas essas referências e lê-las ou ouvi-las.

Bem, após este extensíssimo comentário, fico com a ideia que este livro é mesmo muito completo e que nos faz reflectir sobre o que lemos. Ainda que não dê 10 estrelas a este livro (porque no fim fiquei um pouco com a sensação de que a história fica um pouco aquém daquilo que prenuncia), é um livro fantástico e que merece ser lido!

Journal Entry 8 by Meg72 at Ílhavo, Aveiro Portugal on Wednesday, February 05, 2014
Já chegou! Ainda tenho alguns livros para "despachar" primeiro, mas vou tentar não demorar muito na leitura.

Journal Entry 9 by Meg72 at Ílhavo, Aveiro Portugal on Sunday, March 16, 2014

Released 5 yrs ago (3/16/2014 UTC) at Ílhavo, Aveiro Portugal

CONTROLLED RELEASE NOTES:

Eu consigo ver a razão por qual este livro é considerado um clássico americano, pois acredito que tenha sido bastante revolucionário na época em que foi publicado, pouco depois da II Guerra Mundial. Em primeiro lugar, temos o tema, a de um jovem, Holden Caulfield, que não se sente integrado nos “padrões de normalidade” daquele tempo. Em segundo lugar, a linguagem utilizada, ou seja, o autor coloca-se na pele de um puto de 16 anos e usa as expressões que um miúdo rebelde daquela altura utilizaria. Objetivamente, eu consigo ver onde está o valor do livro mas, em termos de experiência pessoal de leitura, não gostei.
Se calhar, deveria ter lido este livro quando era mais jovem; no entanto, olhando para trás, mesmo na adolescência, duvido que o tipo de enredo teria suscitado o meu interesse. Confesso que nunca gostei das histórias de pobre menino rico, tipo “Olha, para mim, com uma família tão rica e eu sem saber o que fazer com a minha vida!”. Holden Caulfield é, simplesmente, intragável – cínico, cobarde, insensível, egoísta e incrivelmente estúpido. Não consegui sentir qualquer tipo de simpatia por ele e não vi qualquer razão para justificar o seu péssimo comportamento. Por outro lado, existe uma constante repetição de palavras que é enervante. Eu sei que é para imitar o discurso de um jovem, mas há limites para o uso de “fazer marmelada”, “bestialmente”, “armante” e “banzado”. O que é demais, é demais!
Gosto de clássicos mas este livro está definitivamente bem longe dos meus preferidos.

Journal Entry 10 by Cokas at Almada, Setúbal Portugal on Wednesday, April 02, 2014

Chegou hoje!
Obrigada, Meg72, pelo envio.

Journal Entry 11 by Cokas at Almada, Setúbal Portugal on Monday, June 02, 2014
Holden Caulfield é um jovem perdido no labirinto da sua própria adolescência, numa busca incessante de afeto e companhia, tentando descobrir, à força da rebeldia, de que forma a sua existência pode vir a encaixar-se num mundo que não é perfeito.

No fundo, Holden é um adolescente como tantos outros, com um abismo de contradições que se prolonga até ao mais profundo recanto do seu ser; e onde não faltam certezas absolutas e inseguranças medonhas, amores e ódios, vontade de partir por sua conta e risco à descoberta do mundo e uma insuportável incapacidade de estar sozinho consigo próprio sem experimentar uma solidão dilacerante.

(Holden daria um bom entrevistado do Alta Definição, com resposta pronta na ponta da língua para os "Gosto de" e os "Não gosto de", com um drama familiar que lhe provocaria aquele momento mais emotivo e com aquela que seria talvez a resposta mais surpreendente à pergunta final do Daniel Oliveira!)

Confesso que o final foi demasiado óbvio. Não só do ponto de vista da estória - regra geral o espernear do adolescente é apenas um modo de agitar as águas que não traz grandes consequências -, mas principalmente pela manutenção da mesma postura manipuladora de aparente indiferença no discurso de Holden, para fazer crer ao leitor que este precisa mais da personagem do que esta de si!

Assim que receber a morada da Wiccaa, faço o livrinho seguir viagem! :)

Obrigada, ladylouve, por esta oportunidade de leitura!

------ /// ------ /// ------ /// ------

Depois de uma temporada esquecido na minha estante, voltei ao contacto com a Wiccaa que, entretanto, já tinha tido oportunidade de ler este livro por outra via.

Assim, o senhor que se segue é o Arvores.

Peço desculpa por ter retido este belo livro por tanto tempo.
Boas leituras.


Journal Entry 12 by wingArvoreswing at Viana do Castelo, Viana do Castelo Portugal on Wednesday, December 03, 2014
Chegou hoje, mas não vou começar já a ler porque estou doente (este ano tem sido difícil nesta área!)

Mas não ficará perdido, com certeza.
Obrigado pela partilha

Journal Entry 13 by wingArvoreswing at Viana do Castelo, Viana do Castelo Portugal on Monday, January 19, 2015
Como já disse no fórum, não tive paciência para este tipo de linguagem. Não me cativou minimamente. Pode ser um clássico, mas apetece-me ler outras coisas.

Vai seguir caminho para awryn, mal consiga a morada.
Muito obrigado pela partilha. E mil desculpas por ter retido o livro por tanto tempo.

Journal Entry 14 by wingArvoreswing at Viana do Castelo, Viana do Castelo Portugal on Sunday, February 01, 2015
Enviado para a awryn na 5ª feira, dia 29.

Journal Entry 15 by awryn at Lisboa - Anjos, Lisboa (cidade) Portugal on Tuesday, February 03, 2015
ja chegou.obrigada

Journal Entry 16 by awryn at Lisboa - Anjos, Lisboa (cidade) Portugal on Wednesday, May 06, 2015
gostei bastante do livro,achei muito interessante a perspetiva desencantada do mundo e das coisas da personagem principal.e gostei do estilo literario do autor.bastante acessivel, le-se num instante.

Journal Entry 17 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Thursday, May 21, 2015
Como o ccardoso não respondeu, voltou para casa, para um merecido descanso.

Espero que todos tenham gostado! :)

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.