Os olhos de Tirésias

by Cristina Drios | Literature & Fiction |
ISBN: Global Overview for this book
Registered by ichigochi of Vila Nova de Gaia, Porto Portugal on 6/13/2013
Buy from one of these Booksellers:
Amazon.com | Amazon UK | Amazon CA | Amazon DE | Amazon FR | Amazon IT | Bol.com
7 journalers for this copy...
Journal Entry 1 by ichigochi from Vila Nova de Gaia, Porto Portugal on Thursday, June 13, 2013
"A descoberta de um retrato daquele avô cuja história a família sempre encobriu - Mateus Mateus, o gigante de olhar estranho que partiu, no contingente português, para a Flandres durante a Primeira Guerra Mundial - é o pretexto que a narradora encontra para, simultaneamente, escrever um romance e se afastar de um casamento que parece condenado ao fracasso. Para saber mais sobre o passado desse desconhecido, parte, também ela, para a propriedade de La Peylouse, em Saint-Venant, que alojou o Estado-Maior português nos anos 1917-1918 e da qual o avô, depois de ter servido na frente como maqueiro e coveiro, foi enviado numa missão de espionagem, acabando prisioneiro dos alemães. No bizarro hospital onde passa os meses que antecedem a batalha de La Lys (o mesmo onde virá a ser internado um cabo alemão chamado Adolf, atacado de cegueira histérica), Mateus Mateus cruza-se com figuras inesquecíveis: Alvin Martin, um inglês albino dado às premonições; Hugo Metz, o médico que usa métodos de inspiração freudiana para interrogar os pacientes; o órfão Émile Lebecq, pequeno ladrão e ilusionista amador; e, sobretudo, Georgette Six, a bela enfermeira francesa que perdeu o noivo na guerra e pela qual o português se tornará um homem diferente. E, porém, à medida que a neta de Mateus Mateus vai desfiando essa história - num jogo em que a realidade se torna indestrinçável da ficção -, também a sua vida é sacudida por uma paixão - e só o encontro com Cyril Eyck e o seu bisavô centenário trará a chave para os enigmas do próprio romance."

(Finalista do Prémio Leya 2012)

Journal Entry 2 by ichigochi at Vila Nova de Gaia, Porto Portugal on Thursday, June 13, 2013
A primeira vez que vi uma referência a este livro pensei: "este parece o livro que eu gostaria de ter escrito". O pai da minha avó paterna também fez parte do CEP e às vezes, quando a ouço falar dele, iludo-me com a ideia de que tenho o talento suficiente para investigar e contar a sua história. Na verdade, foi esta afinidade circunstancial que me levou a querer comprar e ler o livro logo. :)
Agora que já o li sei que não é "o meu" livro. Por um lado a história que ele conta é ficção, não é a história do avô da autora mas do avô inventado de uma narradora inventada (apesar de aparecerem algumas personagens bem reais, como um certo cabo austríaco chamado Adolf e um futuro escritor de nome Erich). Por outro lado não me revi na voz da escritora, gostei da voz dela entenda-se mas sei que não seria a minha se eu ousasse tentar uma empreitada semelhante...

Devo confessar que não achei a escrita perfeita, por vezes pareceu-me ainda um pouco em bruto, a precisar de limar algumas arestas: uma ou outra frase demasiado complexa, algumas falhas de pontuação a impedir a fluidez da leitura, mas são pequenos pormenores que não beliscam a solidez narrativa e histórica do romance.
O livro tem três vozes principais: a maior parte da história é contada na terceira pessoa pela narradora, neta de Mateus Mateus, mas alguns capítulos são contados na primeira pessoa, pelo avô, e outros ainda são-no na primeira pessoa pela própria narradora que nos fala da pesquisa que faz para o livro, das pessoas que conhece, do próprio acto de escrever o livro, dos seus relacionamentos e do seu quotidiano numa Lisboa actual...

Para além do estilo próprio da escritora, que nos leva desde uma aldeia perdida na serra da Lousã até aos cenários de uma Flandres em guerra, depois de uma passagem breve por Lisboa, com uma atenção constante ao pormenor que nos faz sentir que viajámos mesmo para aquele espaço/tempo, gostei também da galeria de personagens e sobretudo das inúmeras referências culturais e históricas que vão aparecendo naturalmente no romance. A título de exemplo, a autora inventou um pai a Mateus Mateus, que vive na serra da Lousã, descende de um soldado francês e é neveiro, o que lhe permite referir levemente as invasões francesas e descrever uma actividade completamente obsoleta e quase desconhecida actualmente.
Em resumo, um romance-estreia que me convenceu e uma nova autora cuja obra vou querer acompanhar. :)

Journal Entry 3 by ichigochi at Vila Nova de Gaia, Porto Portugal on Monday, June 17, 2013
O livro vai passear por aí, em BookRing.

Lista de inscritos:
-conto
-livrorosa
-Janeka
-cheee
-marialeitora
-FallenAngels
-ladylouve
-Meg72

E a viagem começa hoje, a caminho da conto. Boas leituras :)

Journal Entry 4 by wingcontowing at Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Sunday, June 23, 2013
Chegou!
Obrigada Ichigochi. Iniciei um outro ring agora mesmo, mas logo de seguida passo para este.

Journal Entry 5 by wingcontowing at Lisboa - City, Lisboa (cidade) Portugal on Sunday, July 14, 2013
Gostei bastante!
Incomodou-me um pouco e a espaços a linguagem rebuscada utilizada, que às vezes era claramente desnecessária e apenas atrapalhava a leitura.
Também me custou a associar a personagem Mateus descrita, muito fria e incapaz de se emocionar, com os relatos na 1ª pessoa desta mesma personagem, feitos de sentidos e sentimentos (se bem que depois percebi, mas no decorrer da maior parte da leitura, a coisa não funcionava).
No entanto e de resto gostei bastante e, como diz a ichigochi, é provavelmente uma escritora a acompanhar

Muito, muito obrigada pela oportunidade, ichigochi!
Segue amanhã para a livrorosa.

Journal Entry 6 by livrorosa at Figueira da Foz, Coimbra Portugal on Friday, July 19, 2013
O livro chegou na terça-feira, mas tenho tido algumas dificuldades em fazer o registo... não encontrava o BCID... e ele bem na frente do meu nariz... enfim!

Vou começar este fim de semana.

Journal Entry 7 by livrorosa at Figueira da Foz, Coimbra Portugal on Tuesday, August 13, 2013
Segue hoje para cheee...

Quanto ao livro, não voltaria a ler... pelo menos nesta altura em que estou cansadíssimo, á espera de férias... nesta época preciso de leituras fáceis, onde não é preciso nenhum esforço de concentração...

Mas gostei!

Journal Entry 8 by cheee at Rio de Mouro, Lisboa (distrito) Portugal on Friday, September 06, 2013
Só cheguei hoje a casa, vinda de férias prolongadas. Vou lê-lo em breve.

Journal Entry 9 by cheee at Rio de Mouro, Lisboa (distrito) Portugal on Thursday, January 16, 2014
Terminada a leitura, irei passar ao próximo na lista.

Foi uma história interessante, no entanto não percebo o porquê da entrada de certas personagens no livro, por exemplo, o cabo Adolf e aquele que compra o livro 'Berlim'. Devo confessar que também não percebi muito bem o título do livro, apesar de ela o explicar perto do final.

Obrigada pela partilha!

Journal Entry 10 by cheee at Rio de Mouro, Lisboa (distrito) Portugal on Thursday, January 16, 2014
Vai seguir para a FallenAngels uma vez que a marialeitora não quis receber o livro.

Journal Entry 11 by FallenAngels at Parede, Lisboa (distrito) Portugal on Thursday, January 23, 2014
Já cá está! Obrigada!!

Journal Entry 12 by FallenAngels at Parede, Lisboa (distrito) Portugal on Wednesday, March 05, 2014
E vai um bocadinho de volta a casa...Obrigada!

Journal Entry 13 by ichigochi at Vila Nova de Gaia, Porto Portugal on Tuesday, March 11, 2014
Está de volta a casa temporariamente para me acompanhar à tertúlia de sexta-feira.
Obrigada FallenAngels. Já to reenvio :)

18.03.2014
Está no correio, de volta à FallenAngels, adicionado de um autógrafo.
Podem ler um resumo da tertúlia com a autora nesta thread do fórum ou neste post do meu blog sobre as sessões do clube literário.

Journal Entry 14 by FallenAngels at Parede, Lisboa (distrito) Portugal on Friday, March 21, 2014
Já cá está...outra vez. Obrigada!!

Journal Entry 15 by FallenAngels at Parede, Lisboa (distrito) Portugal on Thursday, May 08, 2014
Primeiro estranha-se, depois entranha-se...Ichigochi, revejo-me totalmente na tua opinião. Até o pai da minha avó paterna, também combateu na I Guerra...No entanto somos um pouco enganados pela capa: 'A vida extraordinária de um soldado português na Primeira Guerra Mundial', para mim será mais um personagem extraordinário que por acaso esteve na Primeira Guerra Mundial. E sim, Cristina Drios é certamente uma escritora a acompanhar.

Obrigada pela partilha e seguiu já para ladylouve.

Journal Entry 16 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Thursday, May 22, 2014
Já chegou, muito obrigada. :) E veio muito bem acompanhado!

É o próximo a ser lido, espero ser breve. :>

Journal Entry 17 by ladylouve at Lisboa - Benfica, Lisboa (cidade) Portugal on Wednesday, June 04, 2014
Terminei hoje e gostei bastante. Mas fiquei com a opinião bastante dividida... Está aqui: http://naomeapeteceestudar.blogspot.pt/2014/06/os-olhos-de-tiresias.html

Agora seguirá para o próximo da lista. Obrigada! :)

Journal Entry 18 by Meg72 at Ílhavo, Aveiro Portugal on Friday, June 20, 2014
Já chegou! Ainda ando às voltas com o "Oriente Próximo", mas espero atacar neste logo que possível.

Journal Entry 19 by Meg72 at Ílhavo, Aveiro Portugal on Wednesday, July 16, 2014

Released 4 yrs ago (7/16/2014 UTC) at Ílhavo, Aveiro Portugal

CONTROLLED RELEASE NOTES:

Há livros que começam de forma lenta, mas depois a narativa ganha fôlego e é uma viagem viciante até ao final. Outros, começam muito bem, mas “descarrilam” a meio do caminho e ficamos frustrados com a leitura. “Os Olhos de Tirésias” insere-se neste último grupo.

A primeira parte do livro é muito boa. Temos duas histórias paralelas a decorrerem. Por um lado, conhecemos Mateus Mateus, um soldado português destacado para França durante a Primeira Guerra Mundial, bem como outros personagens – incluindo um misterioso Adolf – cujas ações parecem confluir para o mesmo lugar, alterando o rumo da guerra. Por outro lado, temos a neta do Mateus Mateus, que decide escrever a história do seu avó soldado, enquanto tenta encontrar um sentido para a sua vida sentimental frustrada.

Como eu disse, a primeira parte do livro é excelente. A autora estudou bem a lição e pinta um retrato realista e muito pormenorizado do conflito e a forma como este afetou a vida de milhares de pessoas. A escrita é tão visual que conseguimos facilmente imaginar as trincheiras lamacentas, os mortos espalhados pela “Terra de Ninguém” e o sofrimento, não só dos soldados, mas também de quem ficou em casa. Cada personagem é apresentado de forma cuidada e devoramos as páginas para chegar ao momento em que todos se encontram e perceber as várias ligações entre eles. Pois, é aqui que chega a desilusão... O encontro é um verdadeiro anti-clímax e tudo parece ser colado “à pressão”. Depois de uma escrita muito pormenorizada, somos confrontados com passagens breves, em que nada é explicado e a relação entre os personagens parece forçada.

- Hugo Metz é-nos apresentado como um médico que pretende revolucionar o tratamento de doentes com perturbações mentais... Nunca chegamos a perceber que método é esse e como é aplicado nos paciente principais – Mateus Mateus e Alvin Martin.
- Georgette Six é o grande amor de Mateus Mateus, que o transformou noutro homem... Não há qualquer “chama” entre os personagens e a sua ligação parece “metida a martelo”.
- Todos recordam os “bons momentos” no Château Blanc... Mas as cenas em que os personagens estão juntos neste local só demonstram um grupo desconfiado e pouco à vontade com a situação.

Na segunda parte do livro, parece-me que autora perdeu-se a contar a história da neta e do processo criativo do livro e esqueceu-se dos personagens da Primeira Guerra Mundial. Quando se lembrou, fez uma “colagem” rápida e... pronto... está feito!

Fiquei mesmo triste, pois adorei a primeira parte do livro e a escrita de Cristina Drios é super cativante. Uma história belíssima descarrilou e deixou-me com uma enorme sensação de desencanto.

Agora, o livro regressa a casa!


Journal Entry 20 by ichigochi at Vila Nova de Gaia, Porto Portugal on Tuesday, July 22, 2014
Está de volta a casa, entregue em mão na tertúlia da Invicta de sábado passado... :)
Disponível para novas viagens.

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.