Trinta dias tem novembro... e todinhos para ler.

Forum » Portuguese - Português » Parent Thread | Refresh | Search

Sort Options 

finalizando assim este desafio que o Arvores nos fez (e muito bem!) há um ano atrás, posso vir dar conta de algumas outras leituras, nenhuma das quais, no entanto, consta entre as referidas no início desta thread! Ai.

- Um livro do mês passado mas que lá não referi por esquecimento: "Voar no Quarto Escuro" de Márcia Balsas, um lançamento recente e que me despertou a curiosidade por ter estado presente nele (no lançamento, digo); curioso que tem umas palavrinhas na contracapa da nossa Marcenda ;) foi um livro de que gostei bastante, uma colecção de histórias de várias mulheres cujo percurso se cruza e cujas vidas vão assim montando a história; seria uma boa proposta para o desafio do ring múltiplo se o fizéssemos no próximo ano!

- "A Strangeness in My Mind" de Orhan Pamuk, um audiobook que tenho no telemóvel para quando der jeito (como quando o metro está cheio e não dá para estar de livro na mão, como me acontece frequentemente) e que fui ouvindo, voltando atrás e voltando a ouvir partes, até o terminar este mês; nestes casos (de audiobook) é difícil não associar a experiência à forma como o livro é lido e este não é talvez dos melhores... frequentemente confundia os narradores, pois eles são vários. Ainda assim, gostei muito de uma certa descrição de Istambul, pela experiência de um vendedor de rua, um vendedor de yogurt e boza, desde criança/adolescente até à idade adulta e ao longo de 4 décadas em que a cidade e as suas tradições mudam drasticamente. Não será um livro magnífico, creio (talvez demasiado longo, suspeito) mas bem interessante.

- "Teoria da Viagem, Uma Poética da Geografia" de Michel Onfray foi um livro que me foi muito recomendado e (talvez por isso? malditas expectativas!) me desiludiu imenso. Achei-o profundamente arrogante e, apesar de algumas ideias interessantes pelo meio, detestei a maioria dos conceitos que subjazem à coisa. A ideia era bem interessante (uma abordagem filosófica à viagem em que "cruza a experiência pessoal com a permanente sugestão de hedonismo do ponto de vista filosófico, a literatura propriamente dita com uma apresentação irregular e melancólica à geografia, a poesia com a prosa") mas na minha perspectiva não resultou, não porque não escreva bem mas mesmo por causa das opções, formulações e opiniões do autor.

E pronto, os restantes (The Interestings de Meg Wolitzer, "Segu" de Maryse Conde e Bússola" de Mathias Enard) continuam em pausa. Ai.

 

Complete Thread
Eu inaugurei o mês com Meridiano 28, de Joel Neto; muito no início mas já embrenhada.

E vocês, que folheiam enquanto as árvores se vão desfolhando?

 

depois de um "custo de vida" de Deborah levy:
https://relogiodagua.pt/---/o-custo-de-vida/ que não deixou saudades...está aqui se alguém o quiser...

li ontem um livrinho da Fundação Francisco Soares dos Santos (que livrinhos bons, bonitos e baratos...) sobre a floresta portuguesa que aconselho vivamente: https://www.ffms.pt/---/as-plantas-e-os-portugueses

e outro que me emprestaram, sobre meditação...https://www.wook.pt/---/15560710 (ainda sem opinião formada...)

e ainda hoje vou ali ver se pesco outro daquela pilha imensa de "livros para ler"

 

E estou a ler os seguintes:

Histórias Extraordinárias, de Poe (um empréstimo de vocelência, para combinar com a estação do ano) - como o nome indica, são contos, uns melhores do que outros, mas sem desapontar.

O Bom Inverno, de João Tordo (a pensar na próxima sessão do Clube de Leitores) - o 1º que leio deste autor, estou mesmo no início, parece ser uma espécie de policial, com o meio artístico como pano de fundo. Para já, vejo-lhe coisas boas (o moço escreve bem) e más (muitas referências a cineastas e escritores, a roçar a exibição). Tenho de ler mais, para perceber se gosto ou não.

The Remarkable Life of the Skin, de Monty Lyman (porque gosto de ter sempre à mão um livro que não seja ficção: https://groveatlantic.com/book/the-remarkable-life-of-the-skin/) - até ver cheio de informação interessante e escrito de forma muito acessível.

Para além destes, trago pendurados do mês anterior o Good Omens, de Gaiman/Pratchett (uma releitura, porque li a tradução em português há muitos anos) e O Feiticeiro e a Sombra, da Ursula Le Guin (que anda meio emperrado, porque ando a lê-lo a meias com a Pequetinha, mas ela não anda particularmente entusiasmada e acabam por se ir metendo outras coisas pelo meio)

 

Eu inaugurei o mês com Meridiano 28, de Joel Neto; muito no início mas já embrenhada.

Pois, é o que dá ter boas bibliotecas! Imbeija! :-)

E vocês, que folheiam enquanto as árvores se vão desfolhando?

Acho que a única árvore que se vai desfolhando por aqui sou eu mesmo ;-) Coisas da PDI.
Mas tenho lido umas coisitas, vá. Tenho estado a finalizar "Chiron and The Healing Journey", de Melanie Reinhart. Muito bom, para quem se interessa por estes assuntos, claro!

Mais lentamente, "Precious Cargo", de Craig Davidson, do qual já falei no outro tópico. Parecia melhor do que está a ser. Acho que aprecio o autor como pessoa, mas o livro, até agora, é morninho (muito morninho).

Trinta dias para ler... era bom, era!

 

Eu inaugurei o mês com Meridiano 28, de Joel Neto; muito no início mas já embrenhada.

Pois, é o que dá ter boas bibliotecas! Imbeija! :-)


Neste caso é da biblioteca de moi meme (uma troca com Uma vida no campo que me ofereceram, mas já consta na estante). Pode viajar daqui a uns tempos, que eu sei que há malta que o tem na lista de wishas.

 

Meridiano 28, de Joel Neto
Imbeija! :-)


Neste caso é da biblioteca de moi meme (uma troca com Uma vida no campo que me ofereceram, mas já consta na estante). Pode viajar daqui a uns tempos, que eu sei que há malta que o tem na lista de wishas.

Se possível, inclui-me aí no meio dessa viagem; digamos que pode fazer uma escala em Lisboa?
Joel Neto estará sempre na minha wish list, mesmo aqueles livros dele que eu ainda não saiba que já estão por aí ;-)

 

Trinta dias para ler... era bom, era!

O que eu pensei, exactamente!

Ora eu ando com vários em mãos, também... A ver se me despacho com algum deles!
- "The Interestings" de Meg Wolitzer, porque é um ebook que iniciei em viagem e que queria terminar (mas ainda falta bastante, que é um bicho grande)
- "Segu" de Maryse Conde, um BookRing que iniciei antes de ir mas que intercalei com a viagem e agora está em reinício
- "Bússola" de Mathias Enard, que na verdade parei por ter coisas a "despachar" mas que queira reiniciar entretanto porque está comigo há já demasiado tempo... a ver se lhe consigo realmente pegar!

 

Ora eu ando com vários em mãos, também... A ver se me despacho com algum deles!
- "The Interestings" de Meg Wolitzer, porque é um ebook que iniciei em viagem e que queria terminar (mas ainda falta bastante, que é um bicho grande)
- "Segu" de Maryse Conde, um BookRing que iniciei antes de ir mas que intercalei com a viagem e agora está em reinício
- "Bússola" de Mathias Enard, que na verdade parei por ter coisas a "despachar" mas que queira reiniciar entretanto porque está comigo há já demasiado tempo... a ver se lhe consigo realmente pegar!


Com tantos reinícios, tu não és uma leitora, rapariga: és um computador :)

 

Com tantos reinícios, tu não és uma leitora, rapariga: és um computador :)

:D :D :D
podes crer! grrrrrrr

 

e muito avariado rssssss

 

rsssssss, boa!

 

Li o livro de Novembro, o tal-de-que-não-se-pode-dizer-o-nome
Terminei O Testamento do Sr. Napomuceno da Silva, do Germano Almeida
Comecei, também do Germano Almeida, A Morte do Ouvidor (espécie de romance histórico) cuja maior parte se passa em Cabo Verde, Ilha de Santiago, e muito em Cidade Velha :-)
Comecei ainda Memórias dum Comunista, do brasileiro Osvaldo Peralva

 

mais ou menos a meio e a gostar.

 

entretanto encetei outro, que estava aqui a piscar-me o olho há algum tempo

Uma ideia da India, Alberto Moravia - e que belos 30 minutos passei esta manhã, enquanto aguardava que as lojas abrissem.

 

de Ficção Especulativa, mas com um tema diferente: Queer! Pois é, em cada história temos várias personagens com orientações sexuais diferentes umas das outras.

Eu tinha enviado um conto para esta antologia, mas não foi seleccionado. Agora que a estou a ler percebo porquê... A minha história não era muito feliz, hahaha

 

Autismo - de: Valério Romão

E muitas "tralhas" do mestrado... 😢

 

o de Novembro. Até agora muito interessante!

 

Estava eu sentado na minha LFL , numa rara hora soalheira e caiu-me no regaço "Olhos Verdes" por Luisa da Costa Gomes. Os personagens estão bem caracterizados e são atraentes embora com tendência para levar uma vida malparada. Ao mesmo tempo mistura uma reflexão filosófica sobre o comportamento das personagens.O conjunto fica confuso , com citações de filosofos e escritores como Dostoievsky e Camus.

Estava eu nisto quando surge um senhor bem simpatico que oferece 3 exemplares de "Gente Feliz com Lagrimas" . Qd elogiei o livro ele riu-se e declarou que era o autor. Nem mais que João de Melo em pessoa :) Uma pequena e agradável conversa e convívio. Falámos de Namora e Agualusa . São momentos reveladores da vida desta biblioteca.

Aproveito a referir que estou a ler uma biografia de Bukovsky, o qual foi compulsivamente internado num hospital psiquiátrico da Russia Soviética porque quem diz Não ao poder ou e louco ou criminoso ( tenho larga experiência de ver este "insulto" de chamar louco por parte de muitos ditadores a quem se lhes opõe..)
Uma defesa intransigente da importância do NAO aos poderes em vez da reverencia para que humanidade possa ser livre. Estou a gostar.

 

Ena, Joaquim, uma conversa e livros oferecidos pelo João de Melo em pessoa, que fixe!

 

Estava eu nisto quando surge um senhor bem simpatico que oferece 3 exemplares de "Gente Feliz com Lagrimas" . Qd elogiei o livro ele riu-se e declarou que era o autor. Nem mais que João de Melo em pessoa :)


Pois eu, se o encontrasse (além de provavelmente não o reconhecer também) teria de lhe dizer que tenho esse livro há vários anos na minha estante, sempre com a promessa adiada de pegar nele.
É fantástico que esses encontros aconteçam

 

Estava eu nisto quando surge um senhor bem simpatico que oferece 3 exemplares de "Gente Feliz com Lagrimas" . Qd elogiei o livro ele riu-se e declarou que era o autor. Nem mais que João de Melo em pessoa :)


Pois eu, se o encontrasse (além de provavelmente não o reconhecer também) teria de lhe dizer que tenho esse livro há vários anos na minha estante, sempre com a promessa adiada de pegar nele.
É fantástico que esses encontros aconteçam


Eu li esse livro logo quando foi publicado, tenho-o na minha estante e sempre que olho para ele ainda sinto um pouco a sensação que tive quando terminei de o ler. Continua a ser um dos livros que mais gostei de ler, e o título diz tudo! O título reflecte mesmo o conteúdo do livro :-)

 

Estava eu nisto quando surge um senhor bem simpatico que oferece 3 exemplares de "Gente Feliz com Lagrimas" . Qd elogiei o livro ele riu-se e declarou que era o autor. Nem mais que João de Melo em pessoa :) Uma pequena e agradável conversa e convívio. Falámos de Namora e Agualusa . São momentos reveladores da vida desta biblioteca.


Que belo momento. Por acaso, acho que o reconheceria, se não tiver mudado muito. Mas era capaz de ficar constrangido porque, tal como a irus, tenho esse livro nas minhas estantes à espera de atenção, há muito tempo. Demasiado, acho. Enfim.
Ainda bem que podes ter experiências dessas na "Conchas". Venham mais :-)

 

Presente de uma amiga para comemorar meus 3/4 de século de existência. Não conhecia o autor, premiado com a Legion d'Honneur em 2019 e com o Goncourt em 2010. O personagem é um homem de 46 anos que, ao assistir um programa de televisão, descobre a enorme quantidade de pessoas que optam por desaparecer, abandonar a família, refazer sua vida. Resolve então adotar essa solução pois não tinha que fugir de nenhuma família, nenhum grupo social, apenas de uma companheira estrangeira.

 

... ainda no início.
Continuo, pois em Cabo Verde :-)
Deixei Santiago (com A Morte do Ouvidor) e eis-me agora em São Vicente pela mão do Teixeira de Sousa.
E estou ainda com Memórias dum Comunista, do brasileiro Osvaldo Peralva

 

Vi este livro como sugestão de Halloween no Goodreads e gostei tanto da sinopse que não resisti em comprá-lo! Espero que não me desaponte...

 

Até agora, a gostar muito

 

Até agora, a gostar muito


Então pega lá, um pequeno presente: https://www.pagina12.com.ar/232331-diez-cosas-que-tal-vez-no-saben-sobre-mi-madre

Eu acho-a fascinante.

 

Então pega lá, um pequeno presente: https://www.pagina12.com.ar/232331-diez-cosas-que-tal-vez-no-saben-sobre-mi-madre


Era mesmo Escorpião :-) Obrigado pelo presente.

Eu acho-a fascinante.


Eu também!

 

Trouxe-o ontem da biblioteca.
E porque é muito pequenino, a pensar já qual vou ler a seguir...

 

Um livro de ficção científica clássico, com três histórias. Já vou na última, lê-se muito bem :)

 

A tal que aparentemente sofreu plágio de Daphne du Maurier. Mesmo no início, mas promete.

Entretanto terminei The Remarkable Life of the Skin: An intimate journey across our surface, de Monty Lyman, um livro interessantíssimo sobre a nossa pele, me me ensinou imensas coisas, como por exemplo, a razão pela qual a maioria das mulheres acabará por ter celulite mas os homens não, porque é que transpiramos quando comemos pratos picantes, entre muitas outras coisas.

E sabiam que uma experiência concluiu que as mulheres preferem o cheiro dos homens vegetarianos ao dos que comem carne?

Árvores, tenho ideia de seres vegetariano, certo? Ou de pelo menos estares em transição ;) - tu põe-te a pau aí com as nativas, que palpita-me que não há-de haver muitos vegetarianos nessa ilha...

 

Será que depois de leres a sucessora nos podes dizer o que achaste? E será que o dono do livro se importaria que ele viajasse até aqui antes de voltar para ele? Eheh!

 

Será que depois de leres a sucessora nos podes dizer o que achaste? E será que o dono do livro se importaria que ele viajasse até aqui antes de voltar para ele? Eheh!


Digo, pois. Ó aqui a JE:
https://www.bookcrossing.com/---/2990005

Árvores, ainda tenho aqui o livro, importas-te então que ele faça um pequeno desvio até Lisboa para o Jota-P?

 

Será que depois de leres a sucessora nos podes dizer o que achaste? E será que o dono do livro se importaria que ele viajasse até aqui antes de voltar para ele? Eheh!



Árvores, ainda tenho aqui o livro, importas-te então que ele faça um pequeno desvio até Lisboa para o Jota-P?


Mas eu havia lá de me importar com uma coisa dessas? Claro que pode ir para o Jota. "No sweat!" (esta era só para combinar com a resposta lá de cima, que afinal ficou em baixo) ;-)

 

E esta semana, A Sucessora vai até à capital.

 

Árvores, tenho ideia de seres vegetariano, certo? Ou de pelo menos estares em transição ;) - tu põe-te a pau aí com as nativas, que palpita-me que não há-de haver muitos vegetarianos nessa ilha...


Sim, sou praticamente 100% vegeta. Lá vou comendo peixe, quando tem mesmo de ser. É nesses dias que as nativas acordam para a vida e vêem o emplastro com que se iam meter, coitadas. Carne, já não como há 20 anos.
Bom, pelo menos as mulheres cá de casa dizem que cheiro bem, mas elas são suspeitas :-)

 

depois de ter terminado
Capitão de Mar e Terra, de Teixeira de Sousa, que amei!
e Memórias dum Comunista, de Osvaldo Peralva, que achei muito interessante

 

Trouxe uns quantos livros da biblioteca (claro...), mas ando a lê-los, com muita pena minha, muito devagarinho.
"A Escrava de Córdova" de Alberto S. Santos (fui ao lançamento do último livro deste autor, cujo título é "Amantes de Buenos Aires" e fiquei curioso sobre os restantes livros dele, pois são na sua maioria romances históricos, aparentemente muito bem escritos). Esta leitura tem sido muito intermitente, o que não é boa ideia num romance histórico deste tipo... Provavelmente, não vou conseguir terminá-lo, apesar de parecer ser bastante bom.
"A Grande História dos Mitos Gregos" de Stephen Fry, uma compilação dos vários mitos gregos, contada por ordem cronológica (se é que tal seja possível fazer...). Livro grandinho, mas que faz as minhas delícias, pois adoro mitologia grega!
"Lendas de Amor Portuguesas", uma compilação de lendas gravadas na memória colectiva do povo português, feita pela editora Guerra e Paz. Sem autor atribuído, são histórias bastante curtas, ideais para se ler antes de apagar a luz.
Ando a ler igualmente o livro de Novembro, aquele-cujo-nome-já-pode-ser-pronunciado pois já passou por todos os leitores, penso eu de que...

 

continuo a saltitar...nada que me prenda para já. Acabei ontem uma aclamada "viagem vertical" do Enrique Villas-Mata que me soube a quase nada... :(

e continuo com a Biografia do silêncio, este sim, muito bom!

 

ladylouve 2 mos ago
Monstro
de A. M. Catarino, um novo autor de fantasia, ficção científica e weird no geral. É uma edição de autor e por enquanto ainda estou na dúvida sobre o que pensar.

 

Oferta de uma amiga, eu nunca tinha ouvido falar, mas comecei hoje e já promete.
https://www.wook.pt/---/22818702

Entretanto, terminei hoje também o Meridiano 28 com que iniciei esta thread. Por um lado, tinha expectativas demasiado altas que se frustaram um pouco pelo tamanho do livro (há alguns que não perdem nada se sofrerem alguns cortes), por outro é um livro que nos surpreende a cada esquina. Quando dávamos por certa uma determinada forma da história se desenrolar, as coisas mudam. E depois voltam a mudar, quando já vamos embalados e acreditamos que foi assim que se passou. E mais uma vez. Tudo sem falhas e sem ser forçado. E isso é bom.

 

e Outros Textos Esquecidos, de Mário-Henrique Leiria

Uma colectânea de textos, em poesia e prosa, de um autor surrealista que ficou um pouco esquecido. Até agora, absolutamente delicioso e ricamente ilustrado. Acho que vai merecer ring! =D

 

vamos lá ver como é que isto acaba...

 

ainda mesmo no início.

 

ladylouve 2 mos ago
Alguma BD
Ontem li "Hawk", uma edição Kingpin Books, que adorei imenso. Hoje estou a ler "Andromeda", que conheci na exposição do AmadoraBD e que está a ser brutal! :)

 

finalizando assim este desafio que o Arvores nos fez (e muito bem!) há um ano atrás, posso vir dar conta de algumas outras leituras, nenhuma das quais, no entanto, consta entre as referidas no início desta thread! Ai.

- Um livro do mês passado mas que lá não referi por esquecimento: "Voar no Quarto Escuro" de Márcia Balsas, um lançamento recente e que me despertou a curiosidade por ter estado presente nele (no lançamento, digo); curioso que tem umas palavrinhas na contracapa da nossa Marcenda ;) foi um livro de que gostei bastante, uma colecção de histórias de várias mulheres cujo percurso se cruza e cujas vidas vão assim montando a história; seria uma boa proposta para o desafio do ring múltiplo se o fizéssemos no próximo ano!

- "A Strangeness in My Mind" de Orhan Pamuk, um audiobook que tenho no telemóvel para quando der jeito (como quando o metro está cheio e não dá para estar de livro na mão, como me acontece frequentemente) e que fui ouvindo, voltando atrás e voltando a ouvir partes, até o terminar este mês; nestes casos (de audiobook) é difícil não associar a experiência à forma como o livro é lido e este não é talvez dos melhores... frequentemente confundia os narradores, pois eles são vários. Ainda assim, gostei muito de uma certa descrição de Istambul, pela experiência de um vendedor de rua, um vendedor de yogurt e boza, desde criança/adolescente até à idade adulta e ao longo de 4 décadas em que a cidade e as suas tradições mudam drasticamente. Não será um livro magnífico, creio (talvez demasiado longo, suspeito) mas bem interessante.

- "Teoria da Viagem, Uma Poética da Geografia" de Michel Onfray foi um livro que me foi muito recomendado e (talvez por isso? malditas expectativas!) me desiludiu imenso. Achei-o profundamente arrogante e, apesar de algumas ideias interessantes pelo meio, detestei a maioria dos conceitos que subjazem à coisa. A ideia era bem interessante (uma abordagem filosófica à viagem em que "cruza a experiência pessoal com a permanente sugestão de hedonismo do ponto de vista filosófico, a literatura propriamente dita com uma apresentação irregular e melancólica à geografia, a poesia com a prosa") mas na minha perspectiva não resultou, não porque não escreva bem mas mesmo por causa das opções, formulações e opiniões do autor.

E pronto, os restantes (The Interestings de Meg Wolitzer, "Segu" de Maryse Conde e Bússola" de Mathias Enard) continuam em pausa. Ai.

 

... seria uma boa proposta para o desafio do ring múltiplo se o fizéssemos no próximo ano!


Ah! Ah! Eu acho que também já achei o livro que escolheria para o "ring múltiplo se o fizéssemos no próximo ano" Maldito karma.

"A Strangeness in My Mind" de Orhan Pamuk, experiência de um vendedor de rua, um vendedor de yogurt e boza, desde criança/adolescente até à idade adulta e ao longo de 4 décadas em que a cidade e as suas tradições mudam drasticamente. Não será um livro magnífico, creio (talvez demasiado longo, suspeito) mas bem interessante.


E eu que gostei tanto desse livro, apesar de longo nunca o achei aborrecido. Acho que é o meu favorito do Pamuk. Há tempos até me deliciei a ouvir um amigo turco a gritar "Boza!", como o faziam os antigos vendedores - ou pelo menos tenho de acreditar que era assim :)

Olha, aqui está (bendita net): https://www.youtube.com/watch?...

 

Eh pá! Fiquei mesmo com vontade de experimentar a/o boza. Isto só veio aguçar a minha vontade de ir à Turquia.
E o pregão arrepiou-me. Coisas que se perderam neste Portugal "moderno".

 

Eh pá! Fiquei mesmo com vontade de experimentar a/o boza. Isto só veio aguçar a minha vontade de ir à Turquia.
E o pregão arrepiou-me. Coisas que se perderam neste Portugal "moderno".


Acho que também muito se perdeu na Turquia moderna, e o livro fala dessa evolução. O que é curioso é que, pela idade deste vendedor e até pela menção ao livro (que vi hoje noutros vídeos), se calhar foi a literatura que teve o condão de resgatar a venda de boza ao domicílio - que se vende em supermercados, em pacotes como os do iogurte.
Portantus, viva a literatura :-)

E vivam as conversas neste fórum que, por mais adormecido que esteja, ainda nos permite descobrir estas pérolas.

 

Acho que também muito se perdeu na Turquia moderna, e o livro fala dessa evolução. O que é curioso é que, pela idade deste vendedor e até pela menção ao livro (que vi hoje noutros vídeos), se calhar foi a literatura que teve o condão de resgatar a venda de boza ao domicílio - que se vende em supermercados, em pacotes como os do iogurte.
Portantus, viva a literatura :-)

Exactamente, também li isso mesmo :))
Mas também que há uma loja em Istambul desde 1876 (e ainda na mesma família) e que é um dos melhores sítios onde experimentar esta bebida - e que sítio maravilhoso, ora espreitem: http://www.vefa.com.tr/. Não é num sítio particularmente central, mas também não é especialmente fora de mão. Por isso, se lá fores Arvores, aproveita!
E vivam as conversas neste fórum que, por mais adormecido que esteja, ainda nos permite descobrir estas pérolas.

Atão não?!! ;)

 

Mas também que há uma loja em Istambul desde 1876 (e ainda na mesma família) e que é um dos melhores sítios onde experimentar esta bebida - e que sítio maravilhoso, ora espreitem: http://www.vefa.com.tr/. Não é num sítio particularmente central, mas também não é especialmente fora de mão. Por isso, se lá fores Arvores, aproveita!


Oh pá, é mesmo maravilhosa. Com a boza servida com grão de bico torrado, como no livro :)
E os sumos? Arvores, estás à espera de quê? Não me digas que há voos diretos da ilha dourada para Istambul.

Há dias fui assim a modos que intimada a voltar à Turquia, o que vale é que sou uma rapariga que não se deixa intimar facilmente :)

 

Muito fixe. Já associei aos favoritos de viagens, mas não sei quando vou conseguir lá ir.
Voos directos da ilha dourada para Istambul? Era bom, era! Nem para o Porto, quanto mais?! E, para Lisboa, há um por semana.
Mas, lá chegarei :-) Bom, bom, era irmos assim a modos que em grupo, aproveitar estas coisas, rir e conversar até fartar. Isso é que era!

 

E eu que gostei tanto desse livro, apesar de longo nunca o achei aborrecido. Acho que é o meu favorito do Pamuk. Há tempos até me deliciei a ouvir um amigo turco a gritar "Boza!", como o faziam os antigos vendedores - ou pelo menos tenho de acreditar que era assim :)

Olha, aqui está (bendita net): https://www.youtube.com/watch?...

Ah, mas eu fiz a salvaguarda: "é difícil não associar a experiência à forma como o livro é lido e este não é talvez dos melhores..." e também disse que que talvez fosse demasiado longo, mas devia ter posto a ênfase no talvez; é que como referi houve muitas partes que ouvi por mais de uma vez e esta obra estendeu-se por muuuiiito tempo.
Assim, talvez não seja é o melhor dos livros para uma experiência de audição.
Ainda que, por outro lado, me tenha permitido ouvir muitas e muitas vezes o tal típico chamamento "Boo-zaaa!" :)

 

Ainda vou a tempo de actualizar o que estou a ler, que... é o mesmo que no mês passado! :P
The Uncommon Reader (Alan Bennett), Bookring da irus que continua a ser lido apenas em casa para não haver "amassos". Vai progredindo devagarinho, mas estou quase no fim :)

Continuo em leitura conjunta do Coca-Cola Killer do António Vitorino d'Almeida, mas está mais para o parado. A ver se na altura do Natal conseguimos dar mais um avanço ;)

Nos transportes continuo com o Priestess of Avalon de Marion Zimmer Bradley e Diana L. Paxson e continuo a gostar, mas vai indo devagar também :P

 

Comecei ontem. Estou a gostar muito

 

Vou começar "Nunca Desista dos Seus Sonhos", de Augusto Cury, que é auto-ajuda mas prontos, vamos ler na mesma a ver se aprendemos alguma coisa :p

 

Update:

Isto é tipo o pior ebook de sempre, as frases estão todas misturadas umas com as outras. No entanto, o livro é tão terrível que estes erros estranhos lhe dão um ar um pouco surrealista, então está a ser divertido. :p

 

Update:

Isto é tipo o pior ebook de sempre, as frases estão todas misturadas umas com as outras. No entanto, o livro é tão terrível que estes erros estranhos lhe dão um ar um pouco surrealista, então está a ser divertido. :p


Credo!!

 

Um empréstimo de um colega do Clube de Leitura.
Foi escrito em 1918 e é sobre as famílias de colonos (neste caso do Nebraska) da América do Norte. Mesmo no início, mas promete, pois a autora escreve sobre aquilo que viveu.

 

Ainda tive tempo de começar mais uma leitura, desta vez "Carrie", de Stephen King. Está a ser muito interessante, cada vez mais estou fã deste autor!

 

Finalmente terminei o livro que iniciei em Outubro :)

 

Iniciei a leitura deste livro, o qual contém excertos de vários livros.

 

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.