Senhoras da nossa idade (e senhores também, claro)

Forum » Portuguese - Português | Refresh | Search

Sort Options 

Acabei de descobrir este blog, com entrevistas com alguns escritores, e escritoras, da nossa praça:
http://senhorasdanossaidade.blogspot.pt/

São entrevistas breves mais simpáticas, que dão a conhecer as suas preferências literárias e culturais.

 

Apesar de eu ser um senhor, espero.
Mas isto é sexista e discriminatório. Protesto.

 

Apesar de eu ser um senhor, espero.
Mas isto é sexista e discriminatório. Protesto.

Me too!
;)

 

Apesar de eu ser um senhor, espero.
Mas isto é sexista e discriminatório. Protesto.

Me too!
;)


U too, o quê?
És um senhor? Esperas sê-lo?
Acha que é sexista e discriminatório?
Protestas?

ai, ai, isto de mensagens cifradas e incompletas... Já vou dormir mal, a pensar nestas questões.

 

Apesar de eu ser um senhor, espero.
Mas isto é sexista e discriminatório. Protesto.

Ai esta língua portuguesa, a atribuir género a tudo... Se 'senhores' inclui homens e mulheres, porque não há-de acontecer o oposto? Ó Arvores, relaxa, melher :-D
irus, obrigada. Já está nos favoritos, para degustação posterior. Agora tenho 'demasiado no meu prato', como dizem os bifes.

 

Ó Marcenda, estava eu aqui a tentar contornar o meu lado feminino e vieste tu estragar tudo, pá. Não se faz :-)
Pronto, vou ali para a cozinha afiar umas facas e depois faço o almoço. Assim já equilibro os dois lados.

 

Ó Marcenda, estava eu aqui a tentar contornar o meu lado feminino e vieste tu estragar tudo, pá. Não se faz :-)
Pronto, vou ali para a cozinha afiar umas facas e depois faço o almoço. Assim já equilibro os dois lados.

Se o teu lado feminino for como o masculino, a menos que tenhas engordado desmesuradamente, isso contorna-se num instante, meu Arvenzinhas lindo! E sim, és um senhor, uma senhora, uma pessoa maravilhosa <3

 

Bem, agora até corei e tudo :-)

 

ladylouve 9 mos ago
!
Acrescentei à minha lista de leitura do blogger. :) A ver o que acontece.

 

'senhoras da nossa idade' é o quê ?
minha
tua
sua
nossa ---- » (ai, ai )
delas
??????

 

tá bem.
Ou não está há; uma grande diferença entre os 35 e os mais de 60 , por exemplos.

 

Ah espera, que eu assim não tenho idade!

Posso ver ou tem bolinha vermelha? xD

 

Ah espera, que eu assim não tenho idade!

Posso ver ou tem bolinha vermelha? xD


Ui, nem sabes o que se passa, quando as senhoras (e senhores) passam a fronteira dos 35. É a rebaldaria total.
E depois dos 45? Doidice completa.

Qual bolinha vermelha? É uma piscina de bolas, difícil mesmo é sair de lá :)

 

Epa, mas é que se as bolas forem vermelhas não sei se posso, que isto as coisas para maiores de 35 são muito chocantes para mim! :o

Mas eu sou rebelde e fico a acompanhar o belogue na mesma :3

 

35, nas novelas, é a idade em que as actrizes começam a fazer mães de malta com vinte e tal anos. Algumas fazem até avós. Ou então empregadas e cozinheiras com muita personalidade. Como vês, ladylouve, não deves sequer aproximar-te desse blog, é basicamente uma casa de repouso :-D

 

marialeitora 9 mos ago
:)
já me ri com esta thread...mas entretanto o blogue já está nos favoritos! :)
gracias, irus

e a (des)propósito a crónica do RAP desta semana é deliciosa:

Caros e caras leitores e leitoras,



Como todos aqueles e todas aquelas que têm estado empenhados e empenhadas no uso da linguagem inclusiva bem sabem, há reaccionários que persistem em falar e escrever com evidente desrespeito pelo nosso esforço. Esses e essas, é importante dizê-lo, não manifestam, com tal comportamento, uma mera discordância linguística: são verdadeiros inimigos e verdadeiras inimigas da igualdade de género. Aqueles e aquelas que são suficientemente teimosos e teimosas para não se conformarem ao novo modelo bem podem alegar que isso não faz deles e delas obstinados adversários e obstinadas adversárias de uma sociedade mais igual. Não é verdade.

Podem dizer que também sonham com uma sociedade mais igual mas menos ridícula. Não nos convencem. Bem sei que alguns e algumas linguistas têm chamado a atenção para o facto de haver uma diferença entre o género gramatical e sexo biológico, mas estão errados e erradas. Quando afirmam que a gramática não é responsável pelo machismo não estão apenas a ser ingénuos e ingénuas: estão a agir como criminosos e criminosas. O nosso projecto, ao contrário do que dizem os mal intencionados e as mal intencionadas, não é coisa de fanáticos e fanáticas. É uma tentativa de endireitar o mundo, sintagma nominal a sintagma nominal, sintagma verbal a sintagma verbal.

O ideal era termos um idioma em que as palavras não tivessem género, como a língua persa, falada no Irão, Tajiquistão e Afeganistão. Um facto que talvez explique os notáveis progressos em matéria de igualdade de género que esse países registam. Por cá, teremos de ficar satisfeitos e satisfeitas com esta língua enjeitada, que tem problemas difíceis de resolver. Por exemplo, como tornar inclusiva a frase «O João e a Maria foram juntos ao cinema»? A palavra «juntos», no masculino, oprime obviamente a Maria. Mas a frase «O João e a Maria foram junto e junta ao cinema» parece ser agramatical. Só vejo uma solução: que o João e a Maria não vão ao cinema. Pelo menos até que estejamos habilitados e habilitadas a encontrar uma forma de eles poderem assistir a filmes em liberdade e segurança.

Os ingleses e as inglesas obtiveram há pouco tempo uma conquista importante: o metro deixou de saudar os passageiros e passageiras dizendo «Good morning, ladies and gentleman», ou seja, «Bom dia, senhoras e senhores», e passou a dizer «Good morning everyone», isto é, «Bom dia a todos», para não excluir as pessoas que não se identificam como homem nem como mulher. O problema é que, em português, a frase «Bom dia a todos» (que era, se bem estamos lembrados e lembradas, a forma primitiva de «Bom dia a todos e a todas») exclui os mesmos indivíduos.

Para superar essa dificuldade, a filósofa brasileira Márcia Tiburi acaba de editar o livro Feminismo em comum para todas, todes e todos. Percebendo bem que a formulação «todos e todas» não era completamente inclusiva, Tiburi acrescentou a forma “todes”. Só dizendo “todes” conseguimos incluir toda a gente (por enquanto). O que significa que os algarvios e as algarvias sempre foram inclusivos e inclusivas, mesmo sem o saberem. Um abraço para esse povo. Quem fala assim não é gago. Nem gaga.

Nem gague.

 

conto 9 mos ago
RE: :)
Muito bom!!!

 

Agora deu-lhe para se meterem com os leitores:
http://senhorasdanossaidade.blogspot.pt/---/Os%20leitores%20falam%20às%20Senhoras

E com os livreiros:
http://senhorasdanossaidade.blogspot.pt/---/Os%20livreiros%20falam%20às%20Senhoras (e são tão andarilhas que até chegam a Bragança)

 

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.