Já é Agosto, o pior mês do ano. O que se lê por aqui?

Forum » Portuguese - Português » Parent Thread | Refresh | Search

Sort Options 

(o "Paisaje de otoño"), comecei a lê-lo numa espera por e subsequente viagem de autocarro e não mais parei. É tão bom voltar a reconhecer esta vontade de ler que me faz parar e sentar para tomar um café, só para poder ler mais umas páginas... :)
Viciante, embora não me encante como o outro que dele li e que me transportou tão facilmente para as ruas de Havana.

 

Complete Thread
Pois é, amigos, cá estamos no mês de maior confusão, que sempre detestei. Além disso, quando o calor aperta, a paciência fica ainda mais estreita. Mas isso, provavelmente, é só para mim, que tenho uma quantidade de genes alienígenas q. b.

Ontem aproveitei um dia mais fresco e fiz companhia à filhota mais nova, que está adoentada. Li "O Assobiador" de uma assentada. Afinal não me surpreendeu tanto como esperava. Depois escolhi "Um pintor debaixo do lava-loiça", do nosso amigo Afonso Cruz, que penso começar hoje.

E vocês, que leituras fazem?

 

Não és o único alien, eu também de-tes-to o mês de Agosto! Gente por todo o lado, barulho, bichas e desvario generalizado. Nem Trás-os-Montes escapa...

 

Gosto muito da escrita deste rapaz, mas até ver, esta história ainda está muito destrambelhada. Eu sou um bocadinho básica, e até quando leio fantasia, por mais estranha que seja, tem que haver alguma lógica subjacente, caso contrário ficam-me os neurónios a arder. Mas também pode ser por estarmos em Agosto, mês horroroso...

 

mas vou ali para um sítio sozinha! :)

e levo, para já, um "Mar de Papoilas". Uma leitura ....absorvente...

https://www.wook.pt/---/1553677

 

Olhem, eu agora estou a descobrir algo novo. Em Lisboa Agosto e talvez o mes mais calmo do ano e permite conhecer esta bela cidade sem as filas usuais.
Bem, não é para contarriar :) O proprio trabalho e mais calmo.

Sempre gostei das noites de Agosto, em que podia levar o meu filho a ver as estrelas com o minitelescopio e os binoculos. Sao as unicas em que vejo pirilampos e cumprimento as pessoas na rua em passeio ou apenas sentados no devao do predio. Agosto e diferente.. bem, é verdade que é um mes "estranho"
Mas olhem estou a gostar imenso de ler este "Walden" de Thoreau.

 

ladylouve 2 yrs ago
Agosto?
Não sei o que sentir em relação a ele. Tem um feriado, o que é óptimo porque vou poder ir passear :p Apesar das filas e tudo o mais...

Por aqui, continuo com "Sodoma e Gomorra", de Marcel Proust, o quarto volume da heptalogia. Gosto da forma como o autor compreende que toda a gente é parva, mas mesmo assim se dá com eles porque tem de ser.

 

E, como em todos os domingos, anseio pela segunda-feira, ou seja, por Setembro. Este ano está a ser diferente, porque tenho uma casa nova para pôs em ordem, uma sala de leitura forrada a estantes que me estou a deliciar a ordenar, um livro na recta final e basicamente uma vida nova a iniciar-se, portanto...
Estou quase a acabar a leitura da biografia de Constance, a mulher do Oscar Wilde. É uma história tramada, como não podia deixar de ser, e está muito bem documentada, mas a escrita não me encanta. Já vou bem entrada na Ferrante e concordo com o Joaquim, faz-me lembrar a escrita neo-realista do pós-guerra, nomeadamente A Ciociara, o livro do Moravia que mais me marcou e cujo bookray está parado há anos algures, parece-me que na tartaruguinha. E por falar em tartaruguinha, também ando a ler um RABCK dela, O Melhor do Mundo, uma pequena antologia de poesia 'para crianças', mas que na verdade são clássicos da poesia portuguesa que podem e devem ser para qualquer idade.

 

Depois de se ter falado de Neil Gaiman (outra vez) aqui no fórum, fui requisitar à biblioteca "A Estranha Vida de Nobody Owens". Cada vez tenho mais a certeza de que "fantasia" não é a minha praia (já que estamos em Agosto, que passe esta imagem veranil). O livro pretende ser infanto-juvenil ,mas acho-o confuso demais. Não, fantasia não é mesmo para mim...

 

Depois de se ter falado de Neil Gaiman (outra vez) aqui no fórum, fui requisitar à biblioteca "A Estranha Vida de Nobody Owens". Cada vez tenho mais a certeza de que "fantasia" não é a minha praia (já que estamos em Agosto, que passe esta imagem veranil). O livro pretende ser infanto-juvenil ,mas acho-o confuso demais. Não, fantasia não é mesmo para mim...


Já leste o "Bons Augúrios", escrito pelo N. Gaiman e Terry Pratchett? Desse gostei muito. Mas fantasia da boa é o Senhor dos Anéis - os livros, claro, os filmes, como de costume, ficam muito áquem.

 

Já leste o "Bons Augúrios", escrito pelo N. Gaiman e Terry Pratchett? Desse gostei muito. Mas fantasia da boa é o Senhor dos Anéis - os livros, claro, os filmes, como de costume, ficam muito áquem.


Li "Bons Augúrios" há já algum tempo. Recordo-me vagamente da história (o filho do anticristo vive e o fim dos tempos aproxima-se... creio que é essa a história, não é? também não me esquecerei da imagem dos 4 cavaleiros do apocalipse, os quais eu desconhecia, mas que gostei de conhecer)...

Quanto ao "Senhor dos Anéis", adorei quando li (lá por volta de 2001), precisamente depois de ter visto o primeiro filme e, não sei se foi por isso, mas achei que a adaptação ao cinema tinha sido bem feita... claro que cortaram imensa coisa (que pena o Tom Bombadil não aparecer no filme), mas na altura ainda não era moda "partir" cada livro em três filmes separados! Mas tivesse o Peter Jackson antevisto o futuro, e teria ali pelo menos mais 3 fontes de receita!

Curiosamente, sempre que vejo um filme e só depois leio livro, fico sempre mais tolerante do que quando acontece o contrário... Por que será?

 

Jota-P é curioso como juntaste duas historias em que a ideia de apocalipse esta presente :) Bem.. o Leão, O Touro , O Homem e a Aguia são os simbolos dos 4 cavaleiros que decerto ja conhecias. E um tema que gosto de ler mesmo em ficção.

Concordo totalmente com o que dizes sobre livro e filme do senhor dos aneis. Acompanhei o filme ainda qd Peter J. o preparava no papel e depois fisicamente na Nova Zelandia ( e demorou anos !) e eu a espera ansioso ( nunca mais ..recordo de o dizer ) porque os fas de Tolkien que acompanhavam o filme eram unanimes a dizer : Yes!

De facto a dicotomia filme/livro existe mesmo mas não é assim tão obvia como a moda a pinta ( se bem que continuo a sentir que ler primeiro permite maior liberdade a quem conhece uma obra).

 

( se bem que continuo a sentir que ler primeiro permite maior liberdade a quem conhece uma obra).


Eu acho que é preferível ler sempre primeiro o livro... E em certos casos, melhor até é mesmo nem se ver a adaptação cinematográfica, pois fica sempre aquém...

Mas a verdade é que já me aconteceu ler os livros depois de ver os filmes e, vá se lá saber porquê, dou sempre um "desconto" maior do que quando acontece o contrário e não fico tão "chocado" com as diferenças entre os dois "produtos"...

 

E logo a seguir vem o melhor mês do ano - setembro, pois claro :)

Em termos de leituras, continuo com A natureza do deuses, ALA bom como sempre. Um prazer que tem de ser saboreado devagar.

A par disso, estou a ler Chuva, da neozelandesa Kisty Gunn. A sensação que tenho é a de um livro que é ao mesmo tempo maravilhoso (imagino um livro infantil, com belas ilustrações de duas crianças a viverem junto a um lago) e terrível. Como um sonho sempre à beira do pesadelo.
Não por acaso, faz-me lembrar a série Margens do Paraíso, também passada na Nova Zelândia.

 

Livro de contos, dividido em três partes: "No Rio", "Além do Rio" e "De Volta ao Rio". O autor é também jornalista e apresenta o programa "Globo News Literatura" na televisão por assinatura.

 

Agora que terminei mais um volume do Tempo Perdido, farei uma pausa nos livros físicos para regressar ao meu querido kobo. :) Comecei esta senda por um livro de ficção científica muito recomendado (tenho muitos, lol). Ainda vou muito no início, mas não estou a gostar muito. Até agora estão só a descrever naves espaciais e ainda assim não consigo visualizar o que o autor me quer dar a entender.

Prevejo uma leitura um pouco morosa, talvez.

 

Um e-livro sobre simplificar. Como ando com um ataque de imaculadonas (umas hormonas femininas que por vezes atacam sem aviso prévio) acompanhada de febre de destralhamento, este livro está a ser-me útil. Por um lado, tem algumas dicas interessantes e por outro, faz-me sentir um pouco mais normal.

 

Fruto das funçoes de "bibliotecario" :) intermeei O "Walden" de Thoreau com esta obra de Neil Gaiman. E a verdade é que a historia e interessante. Nao apenas pela fantasia que quase imita um conto de fadas moderno, como pela análise da psicologia infantil e sua relação com o mundo dos adultos , que esta subjacente ao miudo de 7 anos que e a personagem principal. A tradução talvez nao seja do melhor ( acho que teria vantagem a leitura em Ingles ) mas esta a ser uma leitura muito gira.

" Os adultos raramente acreditam numa criança qd diz a verdade"

 

Eu, por acaso, até gosto de Agosto...
Gosto do calor, mas gosto principalmente de vir a casa :-)
e gosto de ver o Porto cheio de turistas que deixam o dinheirinho deles cá nos restaurantes / hoteis / afins e ajudam a nossa economia crescer
LOLOL

 

De Neil Gaiman e confesso que gostei ! Foi o 1º livro que li deste autor e revela uma capacidade de analisar os mitos e os contos tradicionais numa perspectiva moderna que não tinha visto antes. A criança de 7 anos parece demasiado matura para a idade , mas será realmente? Aos 7 anos de idade é possivel compreender os adultos e o mundo de um modo profundo embora a expressao verbal leve o adulto a subestimar esta conmpreensao. Por outro lado a propria ideia de um oceano que preenche o universo mas que cabe num lago pequno ..e especial. O livro e pequeno e e uma boa forma de conhecer este escritor.

E ja vou entradote na Odisseia de Penélope de MAtwood. Uma escrita "poderosa" mas uma abordagem do mito de Ulisses que ate agora parece pouco original. vamos ver..

 

Está a ser interessante, mas parece-me que se passa tudo muito rápido!

Quanto ao Starship Troopers, que terminei hoje, passei o tempo todo a achar que a parte da ficção científica era perfeitamente inútil e que aquilo só dava mesmo para filme de série B. Até ao momento em que descobri que foi escrito em 1959. Fiquei fascinada.

 

Quanto ao Starship Troopers, que terminei hoje, passei o tempo todo a achar que a parte da ficção científica era perfeitamente inútil e que aquilo só dava mesmo para filme de série B. Até ao momento em que descobri que foi escrito em 1959. Fiquei fascinada.


Só agora reparei que o autor é Robert Heinlein, um dos meus idolos da FC :) marcou-me sobretudo "Um estranho numa terra estranha" , que foi considerado uma especie de "biblia" pelo mov hippie dos 60s. Tb gostei da "cOmpanhia dos magicos", da "Rapariga de marte" , do "Numero do Monstro" etc. Boa lembrança pois este homem era um profeta ;)

 

O pintor debaixo do lava-loiças, do Afonso Cruz. Ainda estou um bocadinho dividido relativamente a este livro e vou pô-lo a circular para ouvir / ler opiniões. De seguida, ainda não sei se vou acabar dois que estão ali já começados ou se me atiro a "Uma vida imaginária", de David Malouf. Depois vos direi :-)

 

Cortesia da nossa irus, e agora que penso nisso, tenho impressão que ainda não fiz JE... deixa-me ir ali ver, que já cá volto.

 

E pois, não tinha feito JE, não senhor. A idade não perdoa... Mas pronto, era só para dizer que apesar de não ter aspirações literárias, estou a gostar muito deste livro e à conta dele - apesar de ainda só ir mais ou menos a meio -, já tenho uma lista enorme de livros para juntar às minhas pilhas TBR e wishlist.

 

De Margaret Atwood e gostei...mas há um "mas". Formalmente a escrita é perfeita e o estilo original : algo prosa, algo poesia e até teatro. A autora revive a famosa Odisseia de Ulisses do ponto de vista de Penélope, mas ao mesmo tempo como se Penélope estivesse a escrever nos tempos de hoje, com os nossos valores actuais. perpassa portanto pela obra uma certa ironia, ate um certo "desfazer" do mito.

Pareceu-me pouco original , no sentido "feminista" como "machista ao contrario". Mas na segunda metade a autora baralha tudo refazendo duas analises diferentes do mito : a mitologica ( que é naturalmente a verdadeira e que na minha opiniao desenvolveu muito pouco) e da Justiça moderna ( um julgamento forjado de Ulisses). Globalmente no entanto vale a pena ler esta obra , nao so para recordar a aventura de Ulisses como para ver como MA escreve mesmo bem.

 

w_a_s_p 2 yrs ago
Depois de
algumas secas e algumas leituras mais ou menos interessantes li dois livros seguidos fantásticos. O primeiro foi O testamento, de John Grisham. Com uma escrita e um enredo simples, o autor consegue manter um interesse constante e uma estória deliciosa. O outro foi A Rainha Normanda, de Patricia Bracewell, que também adorei. É um romance histórico na linha de Philippa Gregory, mas sem lhe ficar nada atrás, o que, para mim, é um grande feito. O problema é ser o primeiro de uma trilogia e o único que está traduzido para português...

 

algumas secas e algumas leituras mais ou menos interessantes li dois livros seguidos fantásticos. O primeiro foi O testamento, de John Grisham. Com uma escrita e um enredo simples, o autor consegue manter um interesse constante e uma estória deliciosa. O outro foi A Rainha Normanda, de Patricia Bracewell, que também adorei. É um romance histórico na linha de Philippa Gregory, mas sem lhe ficar nada atrás, o que, para mim, é um grande feito. O problema é ser o primeiro de uma trilogia e o único que está traduzido para português...


Boas dicas num genero de literatura que já li mais em outros tempos. " O Testamento" ja me passou pelas mãos ... Nao sei é quem é a rainha normanda :)

 

Ema da Normandia (985 - 1052), foi rainha da Inglaterra, da Noruega e da Dinamarca. O livro é de uma autora americana que infelizmente ainda não foi publicada cá em Portugal. Eu deparei-me com o ebook da edição brasileira por acaso. Espero que não levem a mal deixar o link para o ebook caso alguém tenha interesse:

http://lelivros.today/---/baixar-livro-a-rainha-normanda-patricia-bracewell-em-pdf-epub-e-mobi-ou-ler-online/

 

Agosto e realmente é um mes diferente ... Este calor esta a fazer mal aos peixes do meu aquário e por isso tenho andado a ler um livro sobre "Aquarios de agua doce"- Acabei por colocar uma placa de congelação na água ate baixar um grau..

É pouco frequente citar aqui livros de nao ficção que se vai lendo. Talvez porque achemos que não são "bem" literatura ou talvez pq nos revelem mais nos nossos interesses pessoais alem da literatura em si .

Bem..entao ai vaõ só ..só alguns (ja lidos ou em curso :) " Os druidas na cultura celta" ; O conceito de espaço em Fisica" e finalmente um livro incluido no "genero" literatura de viagens : "Escritos no deserto" de Isabelle Eberhart . São todos uma delicia de leitura.

 

Acabei - já é ontem - «O fim do homem soviético», Svetlana Aleksievitch.
7 estrelas ( de 1 a 5).

 

Entretanto, já vou no sexto livro do Harry Potter ("e o Príncipe Misterioso"). Estou quase a terminar a (re)leitura da saga, 10 anos depois. Estou a gostar, principalmente nestes últimos livros (a partir do quinto), em que os valores da verdadeira amizade começam a surgir de uma forma mais marcante. É precisamente isso que gosto nestas histórias, mais do que a parte fantasiosa...

 

"Uma vida imaginária", um livro belíssimo de David Malouf. Hoje Comecei "As identidades assassinas", de Amin Maalouf, uma reflexão mto actual sobre o extremismo, apesar de ter sido escrito há mais de vinte anos.

 

Estás numa de apelidos que soem "Malouf"? :p

 

Eduardo Galeano e o seu velhinho "Las venas abiertas de América Latina", um ensaio que se lê como um romance e nos entristece como uma tragédia.

 

Li "O Segredo de Cibele", de Juliet Marillier. Um livro de fantasia muito leve, bom para ler na praia.

Hoje de manhã li a noveleta "Dama do Pé de Cabra", de Alexandre Herculano (não gostei muito, talvez porque a história fosse diferente do que recordava) e depois comecei "1984", de George Orwell, que venho apreciando bastante, apesar de algumas coisas serem um pouco confusas (por exemplo, ainda não percebi em que "país" se passa a história)

 

comecei "1984", de George Orwell, que venho apreciando bastante, apesar de algumas coisas serem um pouco confusas (por exemplo, ainda não percebi em que "país" se passa a história)


Olha, esta tua questão ficou na memoria. O que recordava é que 1984 é uma distopia que decorre numa ficticia "Oceãnea" . Fui pesquisar e eis o resultado ( baseado nos proprios escritos do autor) :

"No enredo que tem Londres como cenário (na fictícia Oceânia) -, tudo gira em torno do Grande Irmão. "Quarenta e cinco anos, de bigodão preto e feições rudemente agradáveis", o Big Brother é o líder máximo. Assumiu o poder depois de uma guerra de escala global (análoga à Segunda Guerra, porém com mais explosões atômicas), que eliminou as nações e criou três grandes estados transcontinentais totalitários."

E depois :

A Oceânia reúne a ex-Inglaterra, as ex-Américas, ex-Austrália e Nova Zelândia e parte da África. É um mundo sombrio e opressivo.

http://guiadoestudante.abril.com.br/---/saiba-mais-livro-1984-george-orwell-678177.shtml

 

Sim, eles mais a meio acabam por explicar onde estamos e que países compreendem Eastasia e Eurasia (que estão todos em guerra com Oceania).

No final, achei o livro muito pessimista e fiquei com muita pena do personagem principal...

 

w_a_s_p 2 yrs ago
Acabei ontem
Abril Despedaçado, de Ismail Kadare. Apesar de ter sido uma boa leitura, tinha expetivas demasiado elevadas e acabei por me desiludir. Valeu muito a pena porque fiquei a conhecer toda a questão do Kanun e das vendetas, que desconhecia completamente, assim como a curiosa geografia das montanhas albanesas. Também está muito bem escrito, conseguiu transportar-me para o local, sentir empatia pelas personagens e manter o interesse ao longo de todo o livro. No entanto, o enredo não me satisfez completamente. Começou um pouco morno, depois ficou bastante interessante e quando parecia que ia acontecer alguma coisa voltou tudo ao mesmo.

Entretanto, comecei "O cortiço", de Aluísio Azevedo.

 

marialeitora 2 yrs ago
este:
Os Espaços em Branco, SAMANTHA HARVEY
Um livro belíssimo sobre a doença terrível que é o Alzheimer...

e a propósito disso tenho andado a ouvir este senhor:
http://observador.pt/---/simon-combate-alzheimer-do-pai-com-musica-e-video-e-angaria-mais-de-86-mil-euros/

uma história comovente...

 

Deixei em suspenso os livros que vinha lendo para ler este de uma enfiada "De Istambul a Nassiria , Cronicas da Guerra do Iraque" do jornalista José Manuel Rosendo. Um relato vivido e com sabor a verdade . Curioso ver como um jornalista em terreno de guerra tem um dia a dia semelhante a um voluntario em missoes humanitarias : segurança, qualidade da alimentação, calor ou frio, usar a mesma roupa ate cheirar :), enfim falta de meios que julgamos basicos e mesmo assim ter de tomar decisoes e trabalhar. Decorre em 2003 e coincide com a invasao do Iraque. Creio que nos poupa a certas descriçoes mais detalhadas da guerra , mas os pormenores do dia a dia daquele tempo são interessantes

 

Peguei no livro, que aguardava na prateleira há uns tempos, porque, pelo título, achei que seria o livro ideal para me acompanhar na praia.
Afinal do título ser enganador, não deixou de ser uma companhia simpática, esta saga familiar que nos leva à Ibiza do final dos anos 70, a Londres dos anos 30, à Cornualha durante a II Guerra Mundial.
É um livro muito inglês, com descrições deliciosas dos jardins e das hortas , de jantares bem regados a vinho e whisky, com festas snobes e ambientes rurais.
Apesar de estar cheio de clichés não deixa de ser realista - eu, pelo menos, conheço várias pessoas que poderiam encaixar nestas personagens, incluíndo um amigo que foi um desses "evacuees", tendo passado por casa de várias famílias durante a Guerra.

Antes desse, li numa tarde "A minha mãe anda estranha". É um delicioso livro infantil, de uma coleção que aborda a temáticas das novas realidades familiares. O autor, Ricardo Baptista, ganhou o prémio Maria Rosa Colaço com esta sua primeira obra.

 

Já sabia ao que ia, mas não estava à espera de uma escrita tão poética. Muito bom.

 

de José Saramago

Ainda vou no início mas até agora está a ser muito engraçado :)

 

Eu li este livro recentemente e, apesar de muita gente dizer que é um livro aborrecido, eu gostei bastante de o ler. Creio que por vezes temos de ter a disposição "mental" certa para determinados livros. Se calhar às vezes não temos paciência para determinado livro pois simplesmente não temos a disposição "mental" certa. Tal não aconteceu comigo e em relação a esse livro, do qual acabei por gostar bastante!

 

Eu por oras também estou gostando bastante :) Dentro dos Saramagos todos que já li, este até é daqueles bastante leves. Não percebo como o podem achar aborrecido. Os personagens, pelo menos, estão tão bem caracterizados! E o estilo continua a ser maravilhoso!

 

Um rabck da MargaridaB que me atraiu quando passeio pela minha TBR. Curioso como interrompo as leituras iniciadas sem qq remorso qd algo me atrai a atenção e que isso me permite avançar mais nas minhas leituras. Gostei desta história.

http://www.bookcrossing.com/---/12481227

 

Por essas e outras - a falta de remorsos - estava a ler um livro, cujo nome não me lembro e que estava a gostar (vi que o Árvores não gostou) e saltei a meio para outro, 'O homem da areia'. Depois volto ao anterior.
O desatino é que já baralho tudo, como observo, não é a lamentar que não adianta: é a constatar, ó vida!

 

"As Esganadas", de Jô Soares

Vou mais ou menos na página 15 e já me fez rir até às lágrimas :)

 

(o "Paisaje de otoño"), comecei a lê-lo numa espera por e subsequente viagem de autocarro e não mais parei. É tão bom voltar a reconhecer esta vontade de ler que me faz parar e sentar para tomar um café, só para poder ler mais umas páginas... :)
Viciante, embora não me encante como o outro que dele li e que me transportou tão facilmente para as ruas de Havana.

 

Fiquei fascinada com este livro, com a forma crua, violenta e honesta com que expõe as misérias da raça humana e, em particular, a vida dos habitantes de um cortiço de Botafogo. Por isto e pela escrita simples, que me ia fazendo ler mais e mais sem querer parar, já me estava a agradar muito, mas o final, as últimas três ou quatro linhas conquistaram-me completamente.

 

Até agora foi sem dúvida o melhor livro que li este ano.

 

Até agora foi sem dúvida o melhor livro que li este ano.



encontrei-o aqui! :)
http://lelivros.win/---/download-livro-o-cortico-aluisio-azevedo-em-epub-mobi-e-pdf/

e já li as primeiras 20 páginas! muito bom! Obrigada

 

Esse site é muito bom.

 

Esse site é muito bom.



sem dúvida..ando a descobrir autores brasileiros, por lá...

 

Que site genial!

Obrigada pela partilha =D

 

Escolhi ler este livro porque amo pedras, calhaus e pedregulhos em geral, mas não estava de todo emocionalmente preparada para a dificuldade técnica estilística do livro.

Para além disso tem as letras microscópicas e nem aumentando a 150% no Kobo isto está a ser uma leitura simples.

Vou sofrer.
Até morrer.
D:

 

Escolhi ler este livro porque amo pedras, calhaus e pedregulhos em geral, mas não estava de todo emocionalmente preparada para a dificuldade técnica estilística do livro.

Para além disso tem as letras microscópicas e nem aumentando a 150% no Kobo isto está a ser uma leitura simples.

Vou sofrer.
Até morrer.
D:


Oh, não desistas. Como todos os livros do ALA, custa a entrar na forma dele escrever e ir saltando entre personagens, mas depois de ultrapassada e entendida a "técnica", este livro vale mesmo a pena.

 

Eu tenho a certeza que vou gostar dele quando "entrar", está é a ser difícil. Porque as letras são mesmo pequeninas e eu vejo cada vez pior, custa muito, lol :p Também porque a escrita é muito fluída (afinal, não tem muitos pontos) e tenho de fazer intervalos muito frequentemente na leitura... Preciso de umas longas viagens de autocarro para me poder orientar ;p

 

Eu estou mesmo, mas mesmo a terminar de ler The rose petal beach da Dorothy Koomson.
É o 2º livro que leio dela e estou encantada com o enredo

 

Eu estou mesmo, mas mesmo a terminar de ler The rose petal beach da Dorothy Koomson.
É o 2º livro que leio dela e estou encantada com o enredo


Nunca li nada de Dorothy Koomson , mas recordo que na minha biblioteca surge de vez em qd e é apreciado. Acho curioso é que em conversa com uma leitora referi que em principio nao me atraia muito e ela respondeu : pois, porque estas histórias são para raparigas :) Diverti-me com esta resposta

 

é um ponto de vista... mas que a teia desta história é brilhante, é! :)

 

tuxita 2 yrs ago
Joao PauloII
Boa tarde eu tou a ler Joao Paulo II atravessar o limiar da esperança...

 

Eu escolhi para próxima leitura Guilty wives do James Patterson. Para mim é uma estreia com o autor e pelo que li no goodreads é um daqueles que se adora ou se odeia, vamos ver... ;)

 

Sim, creio que é mesmo essa a reacção face a este este escritor. Conheço que o leia com avidez e quem o ache literatura menor. Se gostares creio que tenho alguns , pelo menos recordo "Angel Experiment" .

 

Vou como corre esta leitura. Obrigada pela oferta.

 

Jota-P 2 yrs ago
A ler o ...
o último "Harry Potter" ("e os Talismãs da Morte"). Também tenho na mesinha-de-cabeceira "Mary Poppins", uma leitura mais leve, mas que não deixa de ser interessante, quanto mais não seja, para conhecer o livro que deu origem ao filme.

 

Emprestado ali das minhas catraias, que para meu embevecimento, o leram em dois ou três dias - este é o primeiro livro em inglês que lêem, atenção. No caso da mais velha, o simples facto de ler um livro em tão pouco tempo (mesmo que fosse em português), já seria motivo de júbilo, esclareça-se. A motivação é uma coisa espantosa...
Quanto a mim, ao contrário do que estava à espera (por ser o guião de uma peça e por ser mais um, tanto tempo depois de a história ter terminado, e em princípio não haver muito mais a dizer), estou a gostar bastante.

 

Graças a Deus que neste mundo ainda existem mães "babadas" :)

 

Are you sure you want to delete this item? It cannot be undone.